Tamanho do texto

Prestar atenção na maquininha, conferir os valores digitados e checar o nome no cartão após o pagamento são dicas dos bancos para evitar golpes

Golpe da troca de cartões, da dupla operação e do valor errado estão entre os mais comuns aplicados durante o Carnaval
MARCELLO CASAL JR./AGÊNCIA BRASIL
Golpe da troca de cartões, da dupla operação e do valor errado estão entre os mais comuns aplicados durante o Carnaval


Além de prestar atenção em possíveis furtos no meio da aglomeração, quem está curtindo o Carnaval de rua pelo Brasil também precisa ficar atento a outro tipo de golpe: o que acontece durante as compras na folia. De acordo com a a Febraban (Federação Brasileira de Bancos), situações como a cobrança dupla, a troca de cartões e a fraude do valor errado estão entre as mais comuns durante a festa.

Leia também: Agências bancárias não funcionam durante o Carnaval; confira programação

Nas redes sociais, internautas relataram alguns golpes sofridos durante o Carnaval . A jornalista Olga Bagatini, por exemplo, escreveu em sua conta no Twitter como seu cartão foi trocado por um vendedor ambulante enquanto ela tentava realizar uma compra.

Segundo ela, o vendedor "arruma uma desculpa qualquer como 'wi-fi não tá pegando', se afasta um pouco e troca seu cartão por um idêntico ao seu." Enquanto isso, ele presta atenção na senha digitada pelo cliente.

A jornalista contou que, mesmo tendo percebendo quase que instantâneamente que seu cartão havia sido trocado, isso não a poupou de cair no golpe : enquanto ela falava com seu banco no telefone, para bloquear todos os cartões, foi avisada que mais de R$ 3 mil já haviam sido gastos "em dez minutos". Confira o depoimento completo de Bagatini:





Outros usuários da rede social também se manifestaram sobre os golpes no Carnaval .















Entenda os tipos mais comuns de golpe no Carnaval e confira dicas para evitar problemas

Instituições financeiras disponibilizaram dicas para que seus clientes não caiam em golpes durante o Carnaval
Divulgação
Instituições financeiras disponibilizaram dicas para que seus clientes não caiam em golpes durante o Carnaval


Segundo a Febraban , o golpe mais comum tem sido esse da troca de cartões : na hora de realizar o pagamento, o vendedor ambulante se aproveita ou provoca alguma distração no cliente para conseguir trocar o cartão por outr qualquer.

Então, ele presta bastante atenção na hora que o consumidor digita sua senha no cartão errado, ou faz, sem que o cliente perceba, com que ele digite a senha no campo de valor, em que aparecem os números digitados, e não asteriscos.

Leia também: Carnaval não é feriado nacional e empresas podem não liberar funcionários

Assim, com a senha e o cartão em mãos, o golpista consegue fazer compras e gastar o dinheiro do cliente até que ele perceba o ocorrido.

Já no golpe da dupla operação ou valor errado,  o ambulante pode fingir que a maquininha deu algum problema e diz que o cartão não passou na primeira vez. Então, ele pega outro  aparelho e cobra novamente o valor. Também pode acontecer de ele se aproveitar de uma eventual distraçãod e um cliente e cobrar um valor maior do que o devido.

Para evitar esse tipo de fraude , a Febraban lançou um vídeo e até uma marchinha de Carnaval para alertar os foliões sobre os golpes. Instiuições financeiras como Itaú e Santander também já estão avisando seus clientes dos possíveis problemas. 
















Confira algumas dicas dos bancos para evitar cair nos golpes:

  • Fique atento ao seu cartão ao entregá-lo para fazer um pagamento: quando recebê-lo de volta, cheque seu é mesmo o seu nome nele;
  • Preste atenção no visor da maquininha: verifique se está digitando a senha na tela certa e se ela não está visível (é preciso que ela esteja aparecendo em forma de asteríscos);
  • Desconfie caso o cartão seja passado mais de uma vez na máquina;
  • Confira se a compra foi aprovada após digitar a senha e peça o recibo para checar novamente;
  • Guarde seus documentos em um lugar seguro.

Leia também: Carnaval de São Paulo politiza, abraça causas sociais e quer relevância nacional

Apesar de não ser compartilhada pelos bancos, há outra dica para evitar a troca de cartões no Carnaval que está circulando nas redes sociais: colar um adesivo para que seja mais fácil identificar seu cartão. Veja: