Tamanho do texto

Enquanto o projeto não é analisado pelo presidente, senador trabalha para convencer parlamentares sobre a necessidade de aprovação da reforma

Wilson Dias/Agência Brasil
"O presidente deve retornar e reunir áreas técnicas e políticas para definição da Previdência", afirmou Major Olimpio

Líder do PSL no Senado Federal, Major Olimpio (SP) afirmou, depois de uma reunião com o ministro da Economia, Paulo Guedes, que o governo ainda não finalizou o texto da proposta de reforma da Previdência. Segundo o senador, a matéria será fechada pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL) após sua alta no hospital. As informações foram publicadas pelo jornal O Estado de S. Paulo .

Leia também: Reforma da Previdência pode elevar PIB brasileiro, aponta FGV

"O presidente deve retornar e reunir áreas técnicas e políticas para definição do texto", disse Major Olimpio, que também demonstrou otimismo em relação à aprovação da reforma da Previdência . "O ministro Guedes sabe que eu sou aliado de primeira hora. Estamos conversando sobre como sensibilizar a classe política. Vamos conversar com o MDB, que tem a maior bancada e é fundamental nesse processo", revelou.

O líder do governo no Senado também afirmou que a equipe de Paulo Guedes ainda discute a possibilidade de aproveitar a PEC (Proposta de Emenda Constitucional) 287, legado da gestão de Michel Temer (MDB). Quanto à polêmica aposentadoria dos militares, Major Olimpio declarou ter ouvido de Guedes que a própria categoria concorda com a reforma e está sugerindo mudanças.

Leia também: Governo quer mudar lei para facilitar acesso das vítimas de Brumadinho ao FGTS

O senador ainda disse que é possível que o projeto tramite simultaneamente ao pacote anti-crime elaborado pelo ministro da Justiça, Sérgio Moro. De acordo com Major Olimpio, essa, assim como a Previdência, é uma prioridade da população. "Na prática uma coisa não tem a ver com a outra, uma não vai travar a outra. As duas coisas são muito urgentes para o País", completou.

Apoio do Congresso

A grande maioria do Congresso Nacional é a favor da reforma da Previdência, segundo uma pesquisa do BTG Pactual
Luis Macedo/Câmara dos Deputados
A grande maioria do Congresso Nacional é a favor da reforma da Previdência, segundo uma pesquisa do BTG Pactual

A grande maioria do Congresso Nacional é a favor da reforma da Previdência , de acordo com dados de uma pesquisa divulgada ontem (11) pelo banco BTG Pactual. O levantamento foi feito pelo Instituto FSB Pesquisa e contou com a participação de 235 deputados federais e 27 senadores.

Segundo a pesquisa, 82% dos deputados concordam que é preciso fazer uma reforma, número que sobe para 89% entre os senadores. Quando separado pelo tempo de casa dos congressistas, o apoio a mudança atinge 78% dos reeleitos e 86% dos novos deputados federais e senadores, que iniciaram seus mandatos oficialmente no último dia 1º.

Leia também: Mais de 80% dos membros do Congresso apoiam reforma da Previdência

Se divididos por partidos, 100% dos membros do PSDB e do PP são favoráveis às mudanças na Previdência , assim como 92% do PSL, sigla de Bolsonaro. Entre os políticos do PT, no entanto, essa aprovação cai para 37%.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas