Tamanho do texto

Bloqueio foi determinado pela Justiça do Trabalho, que já havia congelado outros R$ 800 milhões; além disso, Vale acumula multas do Ibama e governo

undefined
Uarlen Valério
Após tragédia de Brumadinho, R$ 12,6 milhões em contas da mineradora Vale foram bloqueadas


A Justiça do Trabalho determinou, nesta quinta-feira (31), o bloqueio de mais R$ 800 milhões da Vale. Esse é o quinto congelamento realizado nas contas da mineradora, que já tem R$ 12,6 bilhões bloqueados.

De acordo com a Justiça, o novo bloqueio foi feito a pedido do Ministério Público do Trabalho do estado, para assegurar pagamentos e indenizações trabalhistas às vítimas do rompimento da barragem pertentence à  Vale em Brumadinho. O desastre aconteceu na última sexta-feira (25) e deixa, até o momento, 99 mortos e 252 desaparecidos .

Em nota, a  Justiça do Trabalho informou que “mais R$ 800 milhões foram bloqueados nas contas da Vale S.A, para assegurar pagamentos e indenizações trabalhistas. Com isso, o Ministério Público do Trabalho em Minas Gerais (MPT-MG) conseguiu assegurar um total de R$ 1,6 bilhão, que darão efetividade a resultados de ações e acordos extrajudiciais.” 

Na segunda-feira (28), a justiça  já havia bloqueado outros R$ 800 milhões a pedido do MPT-MG. O valor era correspondente a 50% do pedido total, que era de R$ 1,6 milhões. Agora, o pedido do MPT-MG foi totalmente aceito.

De acordo com o órgão, também foram impostas à mineradora outras obrigações, como custear o sepultamento das vítimas e continuidade de pagamentos de salários a trabalhadores vivos e familiares de mortos e desaparecidos.

Vale já acumula outros três bloqueios

undefined
Alex de Jesus
Equipes de resgate trabalham para encontrar corpos na área do rompimento da barragem da Vale em Brumadinho


O primeiro bloqueio foi realizado na própria sexta-feira (25), dia em que o  rompimento da barragem  aconteceu. Na data, o governo de  Minas Gerais  pediu o  congelamento de R$ 1 bilhão  da empresa. A ação, que foi aceita pela Justiça do estado, determinou o auxílio financeiro para "imediato e efetivo amparo às vítimas e redução das consequências" da tragédia. 

O segundo bloqueio , pedido no sábado (26), foi de R$ 5 bilhões. Desta vez, quem moveu a ação foi o Ministério Público do Estado de Minas Gerais (MP-MG), que impôs que o dinheiro fosse enviado para cobrir os danos ambientais de Brumadinho e regiões atingidas. No mesmo dia, mais R$ 5 bilhões foram congelados, também a pedido do MP-MG, para garantir recursos para reparar os danos causados às pessoas afetadas pela tragédia.

Mineradora também acumula multas

undefined
Reprodução Instagram
Thor também está trabalhando nas buscas das vítimas do rompimento da barragem da Vale, em Brumadinho


Também no sábado (26), o Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais (Ibama) multou a Vale em R$ 250 milhões. "A mineradora Vale, responsável pela catástrofe socioambiental ocorrida na tarde de ontem (25) em Brumadinho (MG), foi multada pelo Ibama neste sábado (26/01) em R$ 250 milhões", diz nota do órgão. O valor da multa acumula cinco autos de infração no valor de R$ 50 milhões cada – o máximo previsto na Lei de Crimes Ambientais. Os autos foram aplicados com base no Decreto 6514/2008.

A mineradora também recebeu uma segunda penalidade, de R$ 99 milhões, aplicada pelo governo do estado de Minas Gerais.

Nesta quinta-feira, a prefeitura de Mangaratiba interditou o terminal da mineradora Vale , localizado na Ilha de Guaíba, aplicando multa de R$ 20 milhões à empresa . A interdição ocorreu após uma vistoria feita na manhã desta quinta-feira (31) pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.