Tamanho do texto

Ministro da Casa Civil disse que Paulo Guedes estuda questão dos militares e afirmou que equipe espera mostrar proposta a Bolsonaro na próxima semana

Onyx Lorenzoni afirmou que governo deve enviar proposta única para a reforma da Previdência
Reprodução/Flickr/Governo de Transição
Onyx Lorenzoni afirmou que governo deve enviar proposta única para a reforma da Previdência

O ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, afirmou nesta sexta-feira (11) que a "tendência" é que o governo apresente uma única proposta de reforma da Previdência, reiterando o desejo de "consertar" o atual sistema e pensar no futuro.

Leia também: O que é a capitalização, que estará na proposta de reforma da Previdência

Sobre a categoria militar na reforma da Previdência , tema amplamente discutido durante a semana após falas de ministros e do vice-presidente, general Hamilton Mourão (PRTB), Onyx disse que o tema "está sendo estudado pelo ministro Paulo Guedes", que é quem coordena a equipe econômica fo governo. "Nós deveremos ter uma discussão preparatória na segunda-feira para que apresentemos [a proposta] ao presidente Bolsonaro ainda na próxima semana."

Endossando a ideia incorporada por Paulo Guedes, o ministro-chefe da Casa Civil defendeu que a inclusão dos militares seria um exemplo de "sacrifício" para conseguir a aprovação do projeto, mas afirmou que busca um sistema em que "não se sacrifique ninguém", complementando que o governo vai apresentar uma reforma que "permita equilíbrio fiscal e seja fraterna".

Ainda sobre Guedes, Onyx disse que o ministro conduz as discussões sobre a reforma internamente "com muito critério, com muita atenção e muito equilíbrio." A medida provisória contra fraudes no INSS deve sair na próxima semana, entre segunda e terça-feira, contou o ministro.

Leia também: Mourão contraria ministros e indica que militares serão incluídos na Previdência

Mourão indicou que reforma da Previdência deve incluir militares

Militares podem ser incluídos na reforma da Previdência, indicaram Mourão e Onyx
Alan Santos/PR
Militares podem ser incluídos na reforma da Previdência, indicaram Mourão e Onyx

Em entrevista ao jornal  O Estado de São Paulo , Mourão concordou com o discurso de militares sobre as peculiaridades da carreira, mas disse que a proposta de reforma da Previdência deve aumentar o tempo mínimo de contribuição para os militares, que hoje é de 30 anos, para até 35. Também deve haver mudança na idade a ser atingida, além de adicionar o pagamento de contribuição por parte das pensionistas.

"Num primeiro momento, esse aumento vai variar num espaço entre 30 e 35 anos. Seria o novo patamar a ser atingido. E hoje a pensionista não paga nada. Ela passaria a contribuir", afirmou o general, insistindo que "Os militares vão entrar ainda."

Leia também: Reforma da Previdência já tem 320 votos, diz Joice Hasselmann

A fala de Onyx complementa a de Mourão, uma vez que o vice-presidente falou em duas propostas para a reforma da Previdência , sendo uma "dura" e outra "soft". Ao que indica a fala do chefe da Casa Civil, o governo deve analisá-las internamente antes de enviar ao Congresso a entendida como mais adequada.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.