Tamanho do texto

Bandeira verde, já presente na conta de do mês de dezembro, deve deixar a conta de luz da maioria dos brasileiros mais barata; entenda a redução aqui

Conta de luz em janeiro deverá ser mais barata
Marcelo Camargo/Agência Brasil
Conta de luz em janeiro deverá ser mais barata

A bandeira tarifária para a conta de luz no mês de janeiro de 2019 será verde, sem custo adicional para os consumidores, informa a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). 

Leia também: Brasileiros devem gastar média de R$ 291 nas festas de Réveillon, calcula SPC

A explicação da Aneel para a manutenção da bandeira verde para a conta de luz  de janeiro (em dezembro também não houve tarifa extra) é que o verão, estação mais chuvosa do ano, propicia elevação da produção de energia pelas usinas hidrelétricas e do nível dos reservatórios.

O sistema de bandeiras tarifárias foi criado para sinalizar aos consumidores os custos reais da geração de energia elétrica no Brasil. A adoção de cada bandeira, nas cores verde (sem cobrança extra), amarela e vermelha (patamar 1 e 2), está relacionada aos custos da geração de energia elétrica. 

A agência alerta que, mesmo com a bandeira verde, é essencial manter as ações relacionadas ao uso consciente e combate ao desperdício de energia elétrica.

Decreto de Temer definiu redução de subsídios da conta de luz

Decreto de Michel Temer reduz subsídios da conta de luz a partir de 2019
Antonio Cruz/Agência Brasil
Decreto de Michel Temer reduz subsídios da conta de luz a partir de 2019

O Diário Oficial da União trouxe, na última sexta-feira (28), um  decreto assinado pelo presidente Michel Temer com o objetivo de reduzir gradativamente os descontos concedidos em tarifa de uso do sistema de distribuição e tarifa de energia elétrica, bancados pela Conta de Desenvolvimento Energético (CDE), paga por todos os consumidores.

A CDE funciona como uma 'taxa embutida' na conta de luz para custear programas sociais , descontos tarifários e empréstimos subsidiados para o setor.

Leia também: Desemprego cai, mas ainda atinge 12,2 milhões; informalidade bate recorde

“A partir de 1º de janeiro de 2019, nos respectivos reajustes ou procedimentos ordinários de revisão tarifária, os descontos serão reduzidos à razão de 20% ao ano sobre o valor inicial, até que a alíquota seja zero”, diz o decreto.

O decreto também visa eliminar a cumulatividade de dois subsídios dados à irrigação e aquicultura na área rural, "que hoje permite que um mesmo beneficiado tenha acesso aos dois subsídios ao mesmo tempo", segundo Moreira Franco, ministro de Minas e Energia.

"O decreto propõe uma transição de cinco anos para eliminação total dos benefícios considerados injustificáveis do ponto de vista setorial. De acordo com o decreto, a partir de janeiro de 2019, os benefícios serão reduzidos à razão de 20% ao ano, até sua extinção", informou o Ministério.

Leia também: Conta de luz deve ficar na bandeira verde "por muito tempo", diz ONS

Na prática, com a bandeira verde e a efetividade do decreto, a tendência é que a conta de luz da maioria dos brasileiros comece 2019 mais barata do que termina este ano.

*Com informações da Agência Brasil

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.