Tamanho do texto

Empresários acreditam que a possível eleição do candidato do PSL traga retomada do desenvolvimento da indústria; manifesto teve dez assinaturas

Encontro com empresários a favor de Bolsonaro (PSL). Na foto, Fernando Figueiredo (Abiquim), Marco Polo de Mello Lopes e Sergio Leite de Andrade (Aço Brasil), José Augusto de Castro (AEB), Sérgio Leite de Andrade (Usiminas/Aço Brasil), Cristiano Buarque Franco Neto (Firjan) e Fernando Pimentel (Abit)
Reprodução Twitter
Encontro com empresários a favor de Bolsonaro (PSL). Na foto, Fernando Figueiredo (Abiquim), Marco Polo de Mello Lopes e Sergio Leite de Andrade (Aço Brasil), José Augusto de Castro (AEB), Sérgio Leite de Andrade (Usiminas/Aço Brasil), Cristiano Buarque Franco Neto (Firjan) e Fernando Pimentel (Abit)


Na tarde de segunda-feira (22), empresários de diversas áreas da indústria se reuniram com o candidato à Presidência da República, Jair Bolsonaro (PSL), para manifestar seu apoio. O encontro foi marcado pela presença de dez empresários, que assinaram um manifesto a favor de Bolsonaro.

Leia também: Pelo menos nove nomes já estão cotados para serem os ministros de Bolsonaro 

Liderado pelo deputado federal Onix Lorenzoni (DEM-RS), apontado como possível ministro da Casa Civil em um eventual governo do presidenciável, os grupo era formado de apoiadores das áreas química, automobilística, têxtil, de maquinário, construção civil, aço e siderurgia. Juntos, esses empresários a favor de Bolsonaro representam 32% do Produto Interno Bruto (PIB) industrial do Brasil, ou seja, a soma de todas as riquezas produzidas pela indústria do País.

Segundo o manifesto, com o objetivo de encontrar novos caminhos para a retomada do desenvolvimento da indústria, crescimento do País e da geração de empregos, “os setores industriais que representam 32% do PIB industrial e geram 30 milhões de empregos diretos e indiretos e R$ 250 bilhões em pagamento de impostos colocam-se a favor do diálogo com o candidato Jair Messias Bolsonaro (PSL) na Presidência da República”.

Leia também: O que propõem Fernando Haddad e Jair Bolsonaro para a economia 

O compromisso foi firmado na casa do presidenciável, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro.

Em sua conta no Twitter, Bolsonaro agradeceu o apoio. “Hoje me reuni com muitos empresários de diversos setores do Brasil! Deixo o registro de uma destas produtivas reuniões. Vamos juntos livrar o Brasil das garras ideológicas da esquerda”, disse.

Empresários a favor de Bolsonaro esperam crescimento da economia

Em encontro com empresários a favor de Bolsonaro, candidato do PSL cita Paulo Guedes como esperança de melhora da economia brasileira
Reprodução/Twitter
Em encontro com empresários a favor de Bolsonaro, candidato do PSL cita Paulo Guedes como esperança de melhora da economia brasileira


Durante o encontro, o presidenciável citou decisões tomadas pelo governo de Donald Trump, atual presidente dos Estados Unidos, como referências para possíveis melhoras econômicas: “Eu sei que as economias são diferentes, mas buscando e fazendo algo semelhante [às medidas adotadas por Trump] dá para a gente ampliar a base de emprego no Brasil. E o Brasil precisa de confiança também. Não temos o direito de errar”, completou.

Leia também: Medo de Bolsonaro e Haddad? Proteja o seu bolso com juros!

Também na reunião, após declaração de Lorenzoni, que disse que os empresários a favor de Bolsonaro querem “declarar publicamente o apoio desse setor e que o Brasil volte a crescer”, o candidato do PSL reafirmou sua parceria com o economista Paulo Guedes, futuro ministro da Fazenda caso Bolsonaro seja eleito na votação do segundo turno, que acontece no próximo domingo (28). “Eu falei com o Paulo Guedes e ele é a pessoa que está conduzindo isso tudo. Eu estou muito esperançoso com as propostas dele e a gente tem um pacote de medidas que não traga mais sofrimento a ninguém”, afirmou.

*Com informações da Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.