undefined
Agência Brasil
Cotação do dólar segue em alta pelo sexto pregão consecutivo após divulgação das pesquisas Ibope e Datafolha

Pelo sexto pregão consecutivo, a cotação do dólar seguiu em alta nesta quarta-feira (22) após ter passado dos R$ 4 pela primeira vez em dois anos e meio. Por volta das 9h30 da manhã (horário de Brasília), a moeda americana chegou a R$ 4,0819, terminando o dia em R$ 4,0529.

O motivo da elevação da cotação do dólar são os resultados das  pesquisas  Ibope e Datafolha, divulgados, respectivamente, na última segunda-feira (20) e na madrugada de hoje, sobre as intenções de voto dos brasileiros para a Presidência da República.

Diante do cenário de incerteza política em relação ao próximo presidente, investidores internacionais têm se mostrado inseguros e retirando investimentos [dólares] do Brasil, o que justifica a alta da cotação da moeda.

Cotação do dólar

undefined
shutterstock
Desde 2016, cotação do dólar não ultrapassava os R$ 4

Nesta terça-feira (21), o dólar rompeu a barreira dos R$ 4, o que representa um crescimento de 2% em relação ao real. Após superar a marca, a moeda americana ganhou ainda mais força e fechou o pregão às 17h em R$ 4,0358, maior nível desde 18 de fevereiro de 2016 quando a moeda chegou a R$ 4,0484.

Leia também: Dólar nas alturas! Entenda o que afeta a cotação da moeda americana no Brasil

Corrida presidencial 2018 e a cotação do dólar

undefined
iG São Paulo
Cotação do dólar deve continuar oscilando durante corrida eleitoral

A pesquisa Datafolha  sobre os candidatos à Presidência nas Eleições 2018 divulgada nesta quarta-feira (22) aponta o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) , preso desde abril e com a candidatura contestada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), como líder da corrida eleitoral e hoje concentra 39% das intenções de voto.

O ex-presidente é seguido pelo candidato do PSL, Jair Bolsonaro, que tem 19% da preferência dos eleitores. A pesquisa coloca três candidatos tecnicamente empatados na briga pela terceira colocação Marina Silva (Rede), com índice de 8%, Geraldo Alckmin (PSDB), com 6% e Ciro Gomes (PDT), com 5% das intenções de voto. 

Alvaro Dias (Podemos) alcançou o índice de 3% e João Amoedo (Novo), ficou com a marca de 2%. Henrique Meirelles (MDB), Cabo Daciolo (Patriota), Vera (PSTU) e Guilherme Boulos (PSOL) atingiram a marca de 1% de intenções de voto. Os demais candidatos não atingiram o índice mínimo. Brancos e nulos somam 11% e 3% dos eleitores afirmaram não saber em quem vão votar.

Por fim, é importante destacar que a  cotação do dólar  deve seguir oscilando ao longo do período eleitoral, especialmente com as divulgações das pesquisas de intenções de voto.

*Com informações da Agência Brasil

    Veja Também

      Mostrar mais