Tamanho do texto

A decisão, segundo a estatal, não interfere em seu equilíbrio financeiro; empresa obteve R$ 17 bilhões de lucro no primeiro semestre de 2018

A compensação aos acionistas da Petrobras será feita na forma de juros sobre capital próprio (JCP) no valor de R$ 0,05 por ação
REUTERS/Ueslei Marcelino
A compensação aos acionistas da Petrobras será feita na forma de juros sobre capital próprio (JCP) no valor de R$ 0,05 por ação

O lucro líquido de R$ 17 bilhões obtido pela Petrobras no primeiro semestre deste ano levará a estatal a antecipar o pagamento de R$ 652,2 milhões aos acionistas. A compensação será feita na forma de juros sobre capital próprio (JCP) no valor de R$ 0,05 por ação.

Leia também: Petrobras fecha segundo trimestre com lucro de R$ 10,07 bi, o maior desde 2011

O pagamento foi aprovado na última quinta-feira (2) pelo Conselho de Administração da Petrobras e será feito no próximo dia 28, uma terça-feira. Com o crédito deste mês, o valor acumulado das antecipações na forma de JCP totalizará R$ 1,3 bilhão neste primeiro semestre.

Segundo a estatal, o pagamento está de acordo com a análise feita pela empresa e em consonância com o conservadorismo necessário ao seu equilíbrio financeiro.

As informações foram dadas pela diretoria da Petrobras durante a apresentação do balanço financeiro da empresa, que, neste primeiro semestre, obteve o melhor resultado líquido desde 2011.

Tributos recebidos do governo

Segundo a Petrobras, o aumento nos preços internacionais do petróleo foi o principal responsável pelo acréscimo de 28% na arrecadação de tributos neste ano em relação a 2017
iStock
Segundo a Petrobras, o aumento nos preços internacionais do petróleo foi o principal responsável pelo acréscimo de 28% na arrecadação de tributos neste ano em relação a 2017

Os resultados positivos alcançados pela Petrobras no segundo trimestre deste ano levaram ao recolhimento de R$ 75,2 bilhões em tributos e participações governamentais, incluindo royalties .

Leia também: STF suspende execução de ação trabalhista de R$ 17 bilhões contra a Petrobras

De acordo com a estatal, o aumento nos preços internacionais do petróleo foi o principal responsável pelo acréscimo de 28% na arrecadação de tributos neste ano em relação a 2017. No primeiro semestre do ano passado, o barril de petróleo custava US$ 51,81 (cerca de R$ 192), em média; em 2018, este valor saltou para US$ 70,55 (pouco mais de R$ 261).

O valor desses tributos, somados à parcela dos lucros transferidos ao sócio controlador) o próprio governo), chega a R$ 83,1 bilhões.

A Petrobras na bolsa

Os papéis Petrobras ON e Petrobras PN subiram 3,61% e 4,16%, respectivamente, e chegaram a bater a marca dos 5% durante o dia
iStock
Os papéis Petrobras ON e Petrobras PN subiram 3,61% e 4,16%, respectivamente, e chegaram a bater a marca dos 5% durante o dia

Guiada principalmente pela valorização das ações da estatal, a B3, principal índice da bolsa de valores brasileira, operou em alta nesta seta-feira (3). Os papéis Petrobras ON e Petrobras PN subiram 3,61% e 4,16%, respectivamente, e chegaram a bater a marca dos 5% durante o dia.

Em relatório, o Goldman Sachs afirmou que, com o resultado, a empresa demonstrou habilidade para reduzir seu endividamento se realizar novas vendas de ativos, aproveitando os preços mais altos do barril de petróleo no mercado internacional.

Leia também: Governo renova desconto no diesel até o fim do ano

O lucro líquido da Petrobras , segundo anúncio oficial, foi de R$ 17 bilhões no primeiro semestre de 2018. Além do aumento das cotações internacionais do petróleo e da depreciação do real ante o dólar, a redução do endividamento líquido da estatal também contribuiu para o resultado positivo.


*Com informações da Agência Brasil