Tamanho do texto

Ao menos 460 produtores rurais no sudoeste de Minas foram atingidos por causa da greve; produção de leite foi afetada por falta de gás industrial

O volume de leite descartado hoje estava no silos da cooperativa de Passos desde a última quarta-feira e, assim, já havia perdido validade
Divulgação/Cooperativa Agropecuária do Sudoeste Mineiro
O volume de leite descartado hoje estava no silos da cooperativa de Passos desde a última quarta-feira e, assim, já havia perdido validade

A Cooperativa Agropecuária do Sudoeste Mineiro, na cidade de Passos (MG) , teve de descartar 145 mil litros de leite nesta segunda-feira (28). Segundo assessoria informou ao Brasil Econômico , o leite foi descartado na estação de tratamento de esgoto da cidade mineira. Foram necessárias 14 viagens de caminhão para transportar toda a quantia da bebida, com nove mil litros cada.

Leia também: Ministro espera que redução no preço do combustível chegue à bomba nesta semana

O volume de leite descartado hoje estava no silos da cooperativa de Passos desde a última quarta-feira e, assim, já havia perdido validade. Além disso, a cooperativa necessitava do silos para o armazenamento de produção mais recente – que vem de 15 municípios do sudoeste de Minas Gerais, de 460 produtores rurais.

Ainda de acordo com a assessoria, parte do leite é industrializada, sendo que a maior parcela é resfriada (não pasteurizada) para ser vendida às indústrias de laticínios em São Paulo. O restante é dividido, geralmente são 10 mil litros de leite são pasteurizados – e outros 10 mil litros são transformados em produtos derivados do leite, como leite, manteiga e requeijão.

Cooperativa tentou dobrar a produção de derivados, contudo, como não há fornecimento de gás industrial (GLP), processo foi inviabilizado
Divulgação/Cooperativa Agropecuária do Sudoeste Mineiro
Cooperativa tentou dobrar a produção de derivados, contudo, como não há fornecimento de gás industrial (GLP), processo foi inviabilizado

Por causa da greve dos caminhoneiros, a cooperativa tentou dobrar a produção de derivados, contudo, como não há fornecimento de gás industrial (GLP) – pela crise de desabastecimento –o processo foi inviabilizado e o leite acabou sendo descartado. Segundo a cooperativa, na última quarta-feira, 66 mil litros foram recolhidos das fazendas locais e, desde então, não houve nova captação.

Protestos e leite na estrada

Grandes produtores da região realizaram um protesto na quinta-feira (24) passada. Na ocasião, foram despejados mais de 150 mil litros de leite em acostamento da rodovia MG-O50. Até a data, já tinham sido perdidos mais de 500 mil litros, uma vez que a lei do estado proíbe que o leite cru (não pasteurizado) seja doado.

Cooperativa necessitava do silos para o armazenamento da nova produção – que vem de 15 municípios do sudoeste de Minas Gerais, de 460 produtores rurais
Divulgação/Cooperativa Agropecuária do Sudoeste Mineiro
Cooperativa necessitava do silos para o armazenamento da nova produção – que vem de 15 municípios do sudoeste de Minas Gerais, de 460 produtores rurais

Para além do desperdício diário do produto, o presidente da Aproleite, Marcelo Maldonado Cassoli, destacou na semana passada que também há risco de esgotar os estoques e não haver mais alimentos suficientes para dar aos animais envolvidos na produção.

Leia também: Ministros dizem que negociação foi esgotada, mas evitam prever normalização

Além dos produtores de leite , motoristas de van e motociclistas se uniram aos caminhoneiros na greve na cidade mineira, que também sofre de falta de combustível em todos os postos. Também de acordo com reportagem da EPTV , alunos de escolas rurais de Passos ficaram sem transporte para aulas. Outro serviço afetado na cidade é o de coleta de lixo, que está suspensa.