Tamanho do texto

Na noite da última quarta-feira (23), o presidente da estatal, Pedro Parente, anunciou redução de 10% no preço do óleo diesel nas refinarias, entretanto, ele enfatizou que a decisão é temporária e deve durar apenas 15 dias; veja

Brasil Econômico

Petrobras anuncia queda do preço da gasolina pelo terceiro dia consecutivo em meio a greve dos caminhoneiros
Arquivo/Agência Brasil
Petrobras anuncia queda do preço da gasolina pelo terceiro dia consecutivo em meio a greve dos caminhoneiros

Pelo terceiro dia consecutivo, a Petrobras anuncia queda no preço da gasolina nas refinarias. Com o novo reajuste, o litro do combustível vai para R$ 2,0160, a partir da sexta-feira (25), o que representa uma baixa de 0,72% em relação ao valor estabelecido nessa quarta-feira (24), de R$ 2,0306. Vale destacar que em três dias, o preço do combustível acumula queda de 3,39%. Mas, apesar disso, acumula uma alta de 12,14% em maio. 

Leia também: Dólar, etanol, impostos e mais: Veja como preços dos combustíveis são calculados

Ainda na noite dessa quarta, por meio de coletiva de imprensa, o presidente da Petrobras , Pedro Parente, declarou que a  estatal irá reduzir em 10%, pelos próximos 15 dias, o preço do óleo diesel nas refinarias de todo o País. A ideia é oferecer um ambiente favorável para o governo negociar com a categoria dos caminhoneiros que estão em greve pelo quarto dia consecutivo.

"Essa redução de 10% representa R$ 0,23 por litro no valor médio do diesel comercializado pela  Petrobras. Entendemos que, para os consumidores, será o mínimo de R$ 0,25 no preço final. A redução será só sobre o diesel”, explicou Pedro Parente.

Leia também: Congonhas e mais quatro aeroportos só têm combustível até hoje, alerta Infraero

Altas gradativas

Ao final do período, o presidente da Petrobras disse que o valor do diesel voltará a ser pautado pela política de preços da estatal gradativamente. Durante a coletiva, Parente se mostrou otimista em relação aos resultados da decisão temporária. “Até lá, vamos encontrar soluções definitivas”, destacou ao enfatizar que a estatal não cogita a possibilidade de prorrogar o tempo de preço fixo.

O anúncio ocorre em um momento de crise no setor, devido à greve dos caminhoneiros que se estende pelo seu terceiro dia, sendo que hoje é o quarto dia de paralisação. A categoria reivindica a redução do valor final dos combustíveis – gasolina e diesel – da carga tributária sobre os produtos e também do preço praticado em pedágios nas rodovias.

Leia também: Temer se reúne com ministros e presidente da Petrobras no Palácio do Planalto

Por que a estatal decidiu “ceder à pressão”?

Trata-se de um dilema. Parente avaliou que com essa baixa de 10% do preço do diesel nas refinarias por 15 dias, a estatal deve ter uma perda de R$ 350 milhões, com um impacto no caixa de R$ 100 milhões. Por outro lado, se a greve dos trabalhadores permanecer e houver a interrupção das atividades das refinarias, é estimado que a Petrobras tenha uma perda diária de R$ 90 milhões.

*Com informações da Agência Brasil