undefined
Divulgação
Willian Souza, fundador da Barbearia Brutu's, preza pela qualidade do atendimento para atrair cada vez mais clientes

Cortar o cabelo e fazer a barba pode ser uma experiência monótona e incômoda para muitos. Para os clientes da Barbearia Brutu's, no entanto, a história é outra. Com um ambiente descolado e confortável, além do auxílio de profissionais qualificados, o empreendedor Willian Souza já conseguiu abrir oito unidades próprias e hoje realiza mais de cem mil atendimentos por ano.

Leia também: Quero empreender: devo abrir negócio próprio ou investir em franquia?

São apenas quatro anos desde a inauguração da primeira unidade da Brutu's, mas a história da barbearia começou muito antes, quando Souza ainda tinha 16 anos. Foi nessa época que ele aprendeu a cortar cabelo com um amigo e descobriu o gosto pela função.

Quando entrou para o exército, passou a cortar o cabelo dos colegas e, dessa forma, aperfeiçoar cada vez mais seu dom. "Dentro do quartel peguei amor pela profissão. Como eu fui crescendo de patente, usava os recrutas de cobaia para ir aprendendo. Às vezes visitava barbearias para ficar olhando, fazer bicos. Ia nessas barbearias e varria o chão, fazia alguns cortes", conta o empresário.

Antes de abrir sua própria barbearia, Souza deixou o exército e trabalhou em outros estabelecimentos do gênero. Foi assim que ele percebeu um nicho de mercado. "Eu trabalhava em outras barbearias e a maioria era apenas salão que atendia um público masculino. Eu me sentia um estranho no ninho e comecei a planejar como criar uma barbearia", lembra.

No entanto, apesar de perceber a necessidade de oferecer algo diferente para o público, Souza tinha receio em deixar o atual emprego , pois ganhava bem e tinha estabilidade. Até que, junto com um sócio, criou coragem e mergulhou de vez na ideia de ser o próprio chefe. "Tinha um carro, o barbeiro que foi trabalhar comigo tinha uma moto. Vendemos e pegamos um empréstimo de R$ 50 mil para pagar em 38 vezes", diz.

O sucesso da barbearia, que teve a primeira unidade aberta no bairro de Coqueiros, em Florianópolis (SC), foi tão imediato que não foi necessário nem metade desse tempo para liquidar todas as parcelas. Em apenas um ano já não havia mais dívidas referentes a este crédito. 

Segundo o empresário, o início do negócio foi tão promissor que eles sequer conseguiam atender a todos os clientes. Trabalhando apenas com duas cadeiras, os sócios não davam conta da demanda. Foi por isso que, em apenas seis meses, eles já haviam contratado mais três pessoas e aumentado o número de atendimentos diários. 

Todo esse sucesso aconteceu por uma série de motivos. O fato de Souza já ter clientes da época em que trabalhava em outros estabelecimentos ajudou, mas, de acordo com o empresário, a razão primordial foi a padronização do atendimento.

Desde o início, os sócios sempre tentaram fazer com que os serviços prestados fossem iguais, independente de quem tivesse a tesoura na mão. Essa premissa continuou valendo após a expansão e abertura de outras lojas. 

"Nosso diferencial é padrão de qualidade. Sempre tive o plano de mostrar para o público que podia prestar serviço de qualidade, com preço justo e produtos que eles nunca viram. As barbearias não tinham padrão. Tinham seis, sete cadeiras, mas cada um trabalhava diferente do outro. Hoje nós temos oito unidades, 40 barbeiros, mas vai ser do mesmo jeito com qualquer um deles", explica o empreendedor.

Leia também:  Você sabe o que faz um produtor de moda? Especialista conta detalhes da carreira

Além disso, o conceito de lojas Old School também fez a diferença para Brutu's. Segundo Souza, esse modelo de trabalho tem "importância total" no sucesso da barbearia: "É o nosso principio, nosso conceito, nossa diretriz. O Old School é ate uma forma de contratar barbeiros. Já perdi oportunidade de contratar profissionais muito bons porque eles não se identificavam. Old school é, além de um forma de cortar cabelo, o nosso estilo de vida. O barbeiro trabalha feliz, escuta a musica que quer, conversa. Old School é clássico, atemporal. É o que sempre dá certo".

undefined
Divulgação
Barbearia Brutu's tem decoração e cortes Old School, portanto, todos os profissionais devem se adequar ao estilo

Até o momento, Souza – que não conta mais com o sócio inicial – já investiu mais de R$ 2 milhões em seu negócio. Ele diz que o retorno disso tudo vai além das finanças. "Vem em forma de satisfação. A pessoa às vezes não tem tanto dinheiro, mas faz uma forcinha pra cortar o cabelo com a gente. No geral está sendo muito bom", diz.

Trabalhando com muita cautela para não perder o padrão de seus serviços, Souza diz que o próximo passo não é o prosseguimento da expansão, mas, sim, a formação de novos profissionais qualificados. 

"Estamos abrindo uma escola de barbearia clássica. Fiz uma viagem para a Europa justamente para entender como é passado o conceito, como é ensinado. O mercado cresce muito, mas o profissional é muito fraco. Esse profissional decepciona onde vai trabalhar, fica frustrado e volta para sua profissão antiga", explica Souza.

Nessa passagem pela Europa, o empresário passou pelas principais barbearias do mundo. Um delas, por exemplo, foi a Schorem. Localizada na Holanda, é considerada a maior referência em todo o segmento Old School.

“Nessa visita pela Europa pudemos conferir tudo que está em alta, especialmente na Inglaterra e Holanda, e digo que o estilo brasileiro não perde em nada em termos de qualidade para os principais nomes do mundo”, acrescenta.

Se o Brasil não perde em estilo, ainda tem problemas com a qualificação profissional. É por isso, portanto, que o empreendedor viu a necessidade de abrir uma escola e ajudar a levar um trabalho melhor por todo o País.

Souza revela que voltará a pensar em expansão quando considerar adequado. Pretende, inclusive, levar a Brutu's para outros Estados. O empresário já chegou até mesmo a formatar a empresa para o modelo de franquias, mas tem sérias ressalvas quanto ao aumento de lojas por este método.

"A gente tem o plano de franquia pronto, com manual. Mas a experiência que tive vendo franquias de outros, é que, quando você começa a vender franquia, perde o padrão. 100% das franquias do Brasil não conseguem manter o padrão", opina. 

Leia também: Empresária de sucesso no ramo de joias investe no potencial feminino para setor

Por enquanto, a barbearia está em todas as regiões da Grande Florianópolis. Existem unidades nos bairros Santa Mônica, Centro (Bocaiúva e Esteves Jr.) e Jurerê Internacional, Coqueiros, Kobrasol, Palhoça e Biguaçu.

    Leia tudo sobre: Empreendedorismo

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários