Tamanho do texto

Em nota, o porta-voz Bjorn Trowery disse que “apesar de acharmos que o anúncio tenha feito referência à nossa cerveja Heineken Light, erramos o alvo, vamos usar o feedback para influenciar futuras campanhas”; confira

Brasil Econômico

Chance The Rapper detalhou, em seu Twitter,  que não está pedindo boicote à Heineken
Divulgação
Chance The Rapper detalhou, em seu Twitter, que não está pedindo boicote à Heineken

A marca de cerveja Heineken retirou do ar um comercial do YouTube após ser acusada de racismo . O anúncio mostra uma garrafa da marca sendo deslizada ao longo de um bar passando por pessoas negras até chegar a uma atriz branca com a frase “Sometimes, lighter is better”.

Leia também: Loja é criticada por racismo após acusar clientes negros de roubarem sabonete

O problema é que a palavra “lighter”, em inglês pode tanto ser interpretada como algo leve, sem muitas calorias – proposta da linha light da marca – quanto às cores claras. Sendo assim, o anúncio da Heineken pode ser interpretado tanto como “algumas vezes, mais leve é melhor” quanto “algumas vezes, mais claro é melhor”.

Após a propaganda chegar ao ar, o cantor americano Chance The Rapper condenou o comercial da marca em seu Twitter e ainda criticou, dizendo: “Acho que as empresas estão colocando de propósito anúncios visivelmente racistas para que possam obter mais visualizações”.

Leia também: Quase camuflada! Consumidora encontra perereca morta em salada pronta

Em seu perfil pessoal, o artista ainda disse que, mesmo não querendo contribuir com a ação da marca, a publicidade é terrivelmente racista. Chance detalhou que não está pedindo boicote à empresa. “Estou apenas percebendo a frequência com que isso acontece”, finalizou.

Em contrapartida, outros usuários disseram que a campanha da cerveja estava focada na bebida e não teve nada de racista. Em nota publicada pelo portal internacional Metro , o porta-voz da marca, Bjorn Trowery, disse que, "apesar de achar que o anúncio tenha feito referência à nossa cerveja Heineken Light, erramos o alvo, vamos usar o feedback [desta ação] para influenciar futuras campanhas". Confira o comercial abaixo:


Mais casos

Em janeiro deste ano, a  marca sueca Hennes & Mauritz (H&M) tirou de circulação um moletom que continha a frase "coolest monkey in the jungle", que, em tradução livre, significa "o macaco mais legal da selva", após internautas denunciarem racismo por parte da marca que utilizou uma criança negra para divulgar o produto.

Assim como o caso da Heineken, muitos usuários concordaram com as acusações, mas alguns enxergaram a crítica "como um exagero".

Leia também: Pizzaria é acusada de racismo por fazer blackface em campanha publicitária