Tamanho do texto

Mesmo depois de encerrada a greve da última semana, atrasos persistem e valores indenizados pela estatal por demora nas entregas continua a crescer

Correios têm enfrentado uma série de problemas com entregas nas últimas semanas, prejudicando consumidores
Divulgação/Correios
Correios têm enfrentado uma série de problemas com entregas nas últimas semanas, prejudicando consumidores

Desde o último dia 6, uma taxa de R$ 3 passou a ser cobrada para encomendas no Rio de Janeiro. Segundo os Correios, esta cobrança adicional foi aplicada porque a cidade tem passado por problemas de segurança pública.

Leia também: Governo poderá revisar impostos para financiar intervenção no Rio de Janeiro

No dia seguinte, o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro concedeu liminar impedindo, provisoriamente, o repasse desse gasto ao consumidor, devido à ausência de fatos “convincentes”, segundo a 5ª vara Cível da cidade. Este, no entanto, é só mais um dos inúmeros problemas que os consumidores estão enfrentando com os Correios . Os atrasos, em geral, têm sido o principal deles. 

Mesmo depois de encerrada a greve da última semana, os atrasos persistem. Enquanto isso, crescem os valores indenizados pela estatal por demora nas entregas , o que resulta em mais de R$ 200 milhões em prejuízo a cada ano.

Leia também: Selic pode chegar ao menor nível da história nesta quarta e ficar em 6,5% ao ano

Por conta disso, a Proteste - Associação de Consumidores, listou algumas dicas para que todos possam ficar atentos às atitudes abusivas, conseguindo, assim, assegurar seus direitos em relação aos serviços prestados pela estatal. Confira:  

1) Boleto atrasado

Com eventuais greves e atrasos no recebimento das correspondências, as contas podem vencer sem que o consumidor tenham recebido. Isso gera multas e juros pelo atraso no pagamento. A fim de evitá-las, o ideal é estar atento às datas e solicitar online a 2ª via, se possível.

2) Encomenda fora do prazo de entrega

Atrasos na entrega de produtos podem causar problemas para os consumidores. Nestas situações é possível até mesmo solicitar o cancelamento da compra. Caso o consumidor não consiga fazer isso, a loja online e os Correios devem arcar com os prejuízos sofridos.

Leia também: Saiba como declarar valores de bolsas de estudo no Imposto de Renda

3) Ressarcimento

Se você contratou um serviço que não foi prestado da maneira prometida, terá o direito de buscar ressarcimento ou, no mínimo, um desconto no valor pago. Caso não seja possível achar uma solução, procure um órgão de defesa do consumidor para prestar auxílio. Os próprios Correios oferecem também uma opção de seguro para as encomendas, que pode ser útil, visto o grande número de atrasos que tem sido observado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.