Tamanho do texto

Em uma tentativa de reduzir faltas a consultas médicas, Uber lança serviço que permite aos profissionais de saúde agendarem corridas de pacientes

Organizações conseguem agendar corridas por meio do Uber Health sem exigir que pacientes tenham app instalado
Reprodução/Uber Health
Organizações conseguem agendar corridas por meio do Uber Health sem exigir que pacientes tenham app instalado

O número de pacientes que perdem consultas médicas nos Estados Unidos tem atingido níveis alarmantes. Um dos principais motivos para as faltas, segundo levantamento feito pelo Uber, são os problemas com transporte. De acordo com o estudo, mais de 3,6 milhões de norte-americanos deixam de comparecer às clínicas por esta razão todos os anos – resultado 30% superior ao dos demais países. 

Leia também: Novo golpe pede para que contribuintes regularizem dados bancários na Receita

Pensando em amenizar este problema, a empresa anunciou, nesta segunda-feira (5) o lançamento do Uber Health, um serviço que promete simplificar o deslocamento de pacientes por meio de parcerias com profissionais da área de saúde.

Com a novidade, médicos poderão agendar corridas para seus pacientes, que receberão duas mensagens de texto ou voz com maiores informações sobre a carona: uma quando o carro é avisado e outra quando o motorista chega ao local de partida. A plataforma é voltada, principalmente, para usuários idosos, visto que não exige que os passageiros tenham o aplicativo instalado ou até mesmo um smartphone, pois o aviso pode também ser feito por e-mail, por exemplo. 

Leia também: Projeção da inflação tem quinto corte consecutivo e fica em 3,70%, aponta BC

Os profissionais da área da saúde podem agendar as corridas para seus pacientes com até 30 dias de antecedência à consulta, permitindo assim que haja tempo suficiente para a programação das agendas. Os pagamentos das caronas são feitos pelas organizações, que podem oferecer a corrida como um serviço extra. Até o momento, já são mais de 100 grupos afiliados, entre hospitais centros de reabilitação, clínicas e fisioterapias.

No Brasil

Enquanto a nova plataforma é lançada apenas nos Estados Unidos, o Uber conseguiu uma pequena vitória na Câmara dos Deputados brasileira na última semana. Na ocasião, foram aprovadas duas de três emendas do Senado ao projeto de lei que regulamenta os serviços prestados pelos aplicativos de transporte. Entre as emendas retiradas está a exigência de placa vermelha nos veículos.

Leia também: ANS suspende venda de 44 planos de saúde por conta de reclamações

Além disso, os parlamentares também aprovaram a regra de que os motoristas prestadores de serviços não necessariamente precisam ser donos dos veículos utilizados para trabalhar na Uber ou 99, por exemplo. A exigência de uma autorização específica do poder municipal para cada motorista – hoje exigida para taxistas – também foi retirada do texto.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.