Tamanho do texto

O acidente completou 10 anos e ficou conhecido como a maior tragédia aérea da história do Brasil, com 199 mortes; no total, 33 famílias serão indenizadas pela empresa francesa Airbus, segundo decisão do TJ-RJ

Brasil Econômico

Airbus indenizará famílias de vítimas de acidente da TAM, ocorrido em 2007 no Aeroporto de Congonhas (SP)
Divulgação
Airbus indenizará famílias de vítimas de acidente da TAM, ocorrido em 2007 no Aeroporto de Congonhas (SP)

As famílias das 70 vítimas no acidente com o avião da TAM, que explodiu no aeroporto de Congonhas (SP) em 2007 , serão indenizadas em R$ 30 milhões pela empresa francesa Airbus. A decisão consta em um acordo homologado pelo Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro ( TJ-RJ ) durante o último fim de semana. 

Leia também: Comércio deverá abrir 74 mil vagas temporárias para o final do ano

O acidente da TAM completou 10 anos no mês de julho e ficou conhecido como a maior tragédia aérea da história do Brasil, com 199 mortes. No acordo, foi exposto que 33 famílias devem receber indenização da Airbus , fabricante da aeronave envolvida no acidente.

Até o momento, nenhuma pessoa chegou a ser condenada pelo ocorrido. O Ministério Público Federal (MPF) acusou três indivíduos, porém todos foram considerados inocentes. Segundo a Polícia Federal (PF), não foram encontrados nexos de causalidade que ligassem o acidente às pessoas que eram responsáveis pelo avião, pelo setor aéreo e pelo aeroporto.

O acidente

Em 17 de julho de 2007, um Airbus A320, vôo JJ 3054, saiu da cidade de Porto Alegre (RS), por volta das 17h, e  pousou em São Paulo às 18h48. A aeronave percorreu toda a pista e atravessou uma avenida, antes de se chocar contra um prédio, onde a empresa mantinha um depósito.

Leia também: Inadimplência sobe e recuperação da economia ainda não reflete no bolso

No local onde ocorreu a tragédia, foi construída uma praça com 199 pontos de luz, que representam as vítimas do acidente. Do total, 187 pessoas estavam no avião e outras 12 se encontravam no prédio atingido. 

O caso estava sob responsabilidade de dois escritórios localizados em São Paulo e nos Estados Unidos. Isso se deu pelo fato de uma das vítimas ser americana e seus familiares apresentarem o caso em seu país de origem.

Vale mencionar que o principal motivo que gerou o processo de danos morais contra a Airbus foi a ausência de um alerta sonoro que pudesse comunicar se as alavancas que controlavam as turbinas estavam ou não posicionadas incorretamente na hora da aterrissagem.

Posicionamento

Procurada pelo Brasil Econômico para possíveis esclarecimentos, a LATAM Airlines Brasil informou que não é parte do referido processo. Em relação às indenizações, a companhia alegou que as famílias de 197 vítimas receberam indenizações, e que atualmente existem duas famílias com ações em andamento.

Leia também: BC: Inflação pode chegar a 2,88% e ficar abaixo do limite da meta pela 1ª vez

“A empresa não divulga detalhes das indenizações por questões de segurança e de privacidade dos próprios familiares”, expôs. A Airbus  foi contatada pela equipe,  e afirmou que se solidariza com os familiares das vítimas do acidente. A companhia confirma que chegou a um acordo com os parentes das vítimas.  “O acidente não foi causado por nenhuma falha relacionada à aeronave e o acordo não implica de nenhuma maneira em um reconhecimento de culpa por parte da Airbus”, alegam.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.