Tamanho do texto

Das 1.911.524 novas empresas instaladas no Brasil entre janeiro e outubro deste ano, aproximadamente 80% são microempreendimentos individuais

Brasil Econômico

A criação de novos microempreendimentos individuais ( MEIs ) no Brasil até outubro deste ano bateu recorde. Segundo o Indicador Serasa Experian de Nascimentos de Empresas, 1.502.010 empresas foram criadas no País entre janeiro e outubro. O resultado indica um crescimento de 11,7% em relação ao mesmo período do ano passado e representa 78,6% do total de empresas abertas no período.

Leia também: Aluguel em bitcoin? Aplicativo permite pagamento da despesa com moeda digital

Ainda de acordo com a  Serasa Experian , a criação de empresas em outubro também teve resultado expressivo, com 181.681 novos registros, o maior número para meses de outubro desde o início da série histórica em 2010. Em relação às MEIs, foram 142.642 contra 124.010 nascimentos registrados em outubro de 2016, o equivalente a uma alta de 15,8%. 

Serasa Experian aponta que surgimento de 181.681 MEIs em 2016 também foi visto como um recorde
iStock
Serasa Experian aponta que surgimento de 181.681 MEIs em 2016 também foi visto como um recorde

Entre outubro de 2012 e outubro de 2015, a participação das MEIs cresceu, contribuindo para o aumento no número total de novas empresas no Brasil. Em outubro deste ano, a participação dos microempreendimentos individuais em relação ao total de empresas foi a maior de todos os meses de outubro.

Para os economistas da Serasa, apesar de um início de recuperação do mercado formal de trabalho, a criação das MEIs permanece grande na economia. Um fator que contribui para esse desempenho é a reação da economia, que abre oportunidade para novos negócios e estimula a procura por novas fontes de renda no empreendedorismo. Em outubro de 2017, as Sociedades Limitadas registraram a criação de 15.405 unidades. Ao mesmo tempo, surgiram 12.334 Empresas Individuais e 10.300 empresas de outras naturezas jurídicas.

Setores

O setor de serviços continuou liderando o ranking dos mais procurados pelos que decidiram criar um novo negócio. Das empresas abertas em outubro, 114.891 se enquadravam nesse setor, número equivalente a 63,2% do total. Em seguida, estão 52.011 empresas do comércio e 14.226 do setor industrial.

Leia também: Mulheres gastam quase o dobro do tempo dos homens com tarefas domésticas

Nos últimos sete anos houve um crescimento contínuo na participação das empresas de serviços no total de empresas que nascem no Brasil, passando de 53,4% em outubro de 2010 para 63,2% em outubro deste ano. Em contrapartida, observou-se uma queda na participação do setor comercial, indo de 35,4%, em outubro de 2010, para 28,6% em outubro de 2017.

Região e estado

No período, a maioria das novas empresas nasceu no Sudeste, com 95.346 novos negócios abertos. Em seguida, estão as regiões Sul, com 32.125 novas empresas; Nordeste, com 30.564 novas entidades; Centro-Oeste, com 15.361 empresas abertas; e Norte, com 8.285 novos empreendimentos. A região Centro-Oeste foi a que apresentou o maior aumento no número de novas empresas, com 18,4%, frente a outubro de 2016.

Leia também: Conta de luz terá desconto para quem consumir menos no horário de pico

O Nordeste teve crescimento de 17,1% no número de novos negócios; a região Sul avançou 13,4%; o Sudeste teve alta de 12%; e o Norte teve crescimento de 11,6%. Entre os estados,  São Paulo correspondeu por 28,3% dos novos empreendimentos, totalizando 51.486 empresas abertas, segundo o estudo da Serasa Experian. Em seguida, estão Rio de Janeiro, com 19.798 empresas criadas, e Minas Gerais, com 19.723 novos registros.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.