Segundo o IBGE, mulheres destinaram 20,9 horas da semana, em média, com serviços da casa; homens gastaram 11,1 horas por semana com as tarefas

Brasil Econômico

As mulheres gastam quase o dobro do tempo que os homens com tarefas domésticas, de acordo com pesquisa divulgada nesta quinta-feira (7) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No Brasil, o tempo médio dedicado aos afazeres da casa é de 16,7 horas por semana. As mulheres destinam 20,9 horas da semana para isso. Os homens, por sua vez, gastam somente 11,1 horas por semana com serviços domésticos.

Leia também: Conta de luz terá desconto para quem consumir menos no horário de pico

Os dados divulgados no levantamento Outras Formas de Trabalho 2016 também indicam que, mesmo dividindo o lar com um companheiro, o percentual de mulheres que realiza  tarefas domésticas  é maior. Entre as mulheres que viviam com um marido ou companheiro, 95,6% realizaram essas atividades. Por outro lado, entre os homens nessa condição, a taxa de realização foi de 76,4%.

Mesmo dividindo o lar com um companheiro, o percentual de mulheres que realiza tarefas domésticas é maior
shutterstock
Mesmo dividindo o lar com um companheiro, o percentual de mulheres que realiza tarefas domésticas é maior

Leia também: 99 oferece corridas gratuitas para usuários do aplicativo em São Paulo

Ainda de acordo com o IBGE, 81,3% da população acima de 14 anos de idade realizaram tarefas domésticos em seu domicílio ou na casa de parentes. O resultado equivale a 135,5 milhões de pessoas. Entre as mulheres, a participação foi de 89,8%. Ao mesmo tempo, 71,9% dos homens disseram ter afazeres domésticos.

A sondagem faz parte da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua) e abrange atividades realizadas para benefício próprio ou de terceiros, mas sem remuneração. Segundo a pesquisadora da Coordenação de Trabalho e Rendimentos do IBGE, Alessandra Brito, o levantamento segue uma recomendação da Organização Internacional do Trabalho (OIT).

O objetivo é abordar formas mais amplas de trabalho do que aquelas voltadas somente para o mercado. "As mulheres, além de ter uma taxa de realização maior, dedicam mais horas a essas atividades do que os homens", diz Alessandra. Na média brasileira em 2016, a principal atividade doméstica foi preparar ou servir alimentos, arrumar a mesa ou lavar a louça , com taxa de realização de 80%.

Nesta categoria, as mulheres são novamente o destaque, com 95,7%. Entre os homens, a taxa de realização é de 58,5%. O cuidado com a limpeza ou a manutenção de roupas e sapatos vem em seguida, com 76% em nível nacional. A participação das mulheres (90,7%) é maior que a dos homens (55,7%). A única atividade em que as mulheres perdem para homens é a de pequenos reparos ou de manutenção do domicílio : 65% entre os homens, contra 33,9% entre as mulheres.

Tarefas domésticas e mercado de trabalho

O tempo destinado às tarefas domésticas fez as mulheres trabalharem mais do que os homens quando também são consideradas as horas dedicadas à ocupação propriamente dita. Segundo a pesquisa, a carga  de trabalho média dos brasileiros foi de 52,9 horas por semana. As mulheres dedicaram 54,4 horas de sua semana com o trabalho formal e as atividades domésticas. Entre os homens, a média foi de 51,5 horas semanais.

Leia também: Heineken abre vagas de estágio e oferece vale-cerveja mensal como benefício

Apesar de não fazerem parte da soma do Produto Interno Bruto (PIB), o levantamento sobre as tarefas domésticas mostra uma série de atividades "invisíveis", mas que produzem muito valor. "Quando uma pessoa realiza um serviço doméstico, aquele trabalho tem valor porque poderia ter sido feito por uma pessoa contratada, que receberia uma quantia para realizar aquilo", explica Marina Ferreira, analista do IBGE.

* Com informações da Agência Brasil.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.