Tamanho do texto

No estudo foi identificado que havia em 2016, 69,2 milhões de domicílios no Brasil, sendo deste total 59,6% de casas e 13,7% de apartamentos; entenda

A maioria das residências identificadas pelo IBGE em 2016 são próprias e estão quitadas
shutterstock
A maioria das residências identificadas pelo IBGE em 2016 são próprias e estão quitadas


O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou nesta sexta-feira (24) a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua ( Pnad Contínua ). No estudo foi identificado que havia em 2016, 69,2 milhões de domicílios, sendo deste total 59,6% de casas (59,6 milhões de unidades) e 13,7% de apartamentos, com 9,5 milhões de unidades.

Leia também:Aposentados e pensionistas recebem hoje segunda parcela do 13º salário

O IBGE apontou que os domicílios próprios e que já estão pagos, ou seja, sem estar condicionados a financiamentos, representou 68,2%, ou seja, 47,2 milhões de residências; outros 4,1 milhões estavam financiados, representando 5,9% do estudo.

Os domicílios alugados respondiam por 17,5% do total com 12,1 milhões de domicílios, os cedidos representavam 8,2%, o que representa 5,7 milhões de domicílios e aqueles em outra condição, como, por exemplo, casos de invasão, 0,2%, ou 143 mil domicílios.

Qualidade de vida

A pesquisa identificou que dos 69,2 milhões de residências computadas em 2016, 97,2% delas tinham água canalizada. Dessa porcentagem, 85,8% tinham como fonte principal de abastecimento a rede geral de distribuição, sendo que 87,3%, a disponibilidade da rede geral era diária; em 5%, a frequência era de 4 a 6 vezes por semana; e de 1 a 3 vezes na semana, em 5,8% dos domicílios.

Leia também: Petrobras anuncia novo aumento e gasolina fica 7% mais cara em dois dias

No ano passado, 45,6 milhões de casas no País tinham o escoamento de esgoto feito pela rede geral ou com fossa ligada a essa rede, ou seja, 65,9% do total.  Em 29,7% ou 20,6 milhões de domicílios, o esgoto sanitário era levado para locais de tratamento por meio de fossa não ligada à rede.

A coleta de lixo era feita diariamente para 82,6% das casas, ou seja, 57,2 milhões. Em 5,4 milhões de domicílios, o lixo era coletado em caçamba de serviço de limpeza e em 5,7 milhões de domicílios, era queimado na propriedade.

O levantamento feito  pelo IBGE, estimou que quase a totalidade dos domicílios – 99,8% deles – tinha energia elétrica, sendo fornecida pela rede geral ou por fonte alternativa. Em 99,5% do total (68,9 milhões de domicílios), havia energia elétrica proveniente da rede geral e a disponibilidade era em tempo integral em 99,2% dos casos (68,3 milhões).

*Com informações da Agência Brasil

Leia também: População que se declara preta cresceu 14,8% nos últimos quatro anos, diz IBGE

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.