Tamanho do texto

Número de linhas fixas de telefone passou de 42,2 milhões em setembro de 2016 para 41,1 milhões no mesmo período deste ano, uma queda de 2,69%

Segundo a Anatel, maior redução de linhas de telefone fixo aconteceu em São Paulo, com menos 80.995
shutterstock
Segundo a Anatel, maior redução de linhas de telefone fixo aconteceu em São Paulo, com menos 80.995

O Brasil registrou uma redução de 1,1 milhão de linhas fixas de telefone em um ano, passando de 42,2 milhões em setembro de 2016 para 41,1 milhões no mesmo mês de 2017, redução de 2,69%. As informações foram divulgadas pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) nesta sexta-feira (24).

Leia também: Associativismo torna pequenas e médias empresas mais competitivas no mercado

Ainda segundo a Anatel , as linhas das concessionárias da telefonia fixa registraram uma queda de 1.056.716 linhas (-4,23%) no período. Enquanto isso, as empresas autorizadas perderam 78.442 acessos (-0,46%) no período.

No que diz respeito às companhias autorizadas, a TIM, com a entrada de 199.651 novas linhas, foi quem apresentou o maior crescimento nos últimos 12 meses, chegando ao total de 38,57%. Em seguida vem a Algar Telecom, com mais 70.283 novas linhas (28,55%), e a Oi, com 15.279 novos acessos (9,68%), de acordo com os dados da agência.

Já em relação às concessionárias que apresentaram crescimento no período, a liderança fica com a Algar Telecom, que teve 21.035 novas linhas (2,87%). Na sequência vem a Claro, com a adição de 177 novos números (10,79%). As demais registraram redução.

Leia também: População que se declara preta cresceu 14,8% nos últimos quatro anos, diz IBGE

Linhas fixas

Fazendo a comparação entre setembro e agosto de 2017, o País registrou redução de 117.493 linhas fixas, queda de 029%. As concessionárias apresentaram diminuição de 136.761 linhas (-0,57%) e as autorizadas aumento de 19.268 linhas fixas (+0,11%).

Na comparação de setembro de 2017 com o mês anterior, entre as autorizadas, a Algar Telecom registrou 4.390 novas linhas (+1,41%) e todos os demais grupos apresentaram variação menor do que 1% para cima ou para baixo. Entre as concessionárias, a maior redução foi da Oi, com menos 83.164 linhas fixas (-0,61%), seguida da Vivo, com menos 53.148 linhas fixas (-0,56%).

Estados

Santa Catarina foi o Estado com o maior crescimento no número de linhas das autorizadas, com 47.098 novas linhas (+6,91%) nos últimos 12 meses. A maior redução foi em São Paulo, com menos 80.995 (-1,38%). Em relação às concessionárias , todos os estados apresentaram queda no período.

Leia também: Aposentados e pensionistas recebem hoje segunda parcela do 13º salário

Comparando os meses de agosto e setembro, Minas Gerais registrou o maior crescimento das autorizadas no país, com mais 4.797 linhas (+0,35%), e o Rio de Janeiro a maior queda, com menos 4.439 linhas fixas (-0,21%). Em relação às concessionárias, o Acre com mais 79 linhas (+0,13%) foi o único Estado que apresentou variação positiva, informou a Anatel.

*Com informações da Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.