Tamanho do texto

No período, foram recebidas 227,6 mil reclamações contra prestadoras de serviços de banda larga fixa, telefonia fixa e móvel e TV por assinatura

O número de reclamações registadas em outubro pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) apresentou queda de 5,7% na comparação com o mesmo período de 2016. No período, foram registradas 227,6 mil reclamações de consumidores contra prestadoras de serviços de banda larga fixa, telefonia móvel, telefonia fixa e de TV por assinatura. No total, a agência registrou uma redução de 16,9 mil queixas.

Leia também: Burger King entra na Black Friday e oferece balde de batata frita

O setor de telefonia móvel apresentou uma redução de 16,8 mil reclamações, segundo a Anatel . A telefonia fixa, por sua vez, apresentou 2,4 mil queixas a menos. A TV por assinatura registrou diminuição de 200 reclamações. O único serviço de telecomunicações que apresentou alta no número de reclamações de usuários foi o de banda larga fixa, com aumento de 2 mil reclamações (+4,8%).

De acordo com a Anatel, o setor de telefonia móvel registrou queda de 16,8 mil reclamações em outubro
Marcos Santos/USP Imagens
De acordo com a Anatel, o setor de telefonia móvel registrou queda de 16,8 mil reclamações em outubro

Leia também: Demanda por voos nacionais registra alta de 7,8% em outubro, diz Anac

Na telefonia móvel , a Vivo apresentou queda de 9,6 mil queixas (-24,7%). Em seguida, a Claro apresentou redução de 2,4 mil (-8,4%) e a Tim teve queda de 2 mil (-3,9%). A Oi registrou 900 reclamações a menos (-0,9%). Na telefonia fixa , a Vivo registrou 1,6 mil reclamações a menos (-8,1%). Em seguida, estão a Oi, com menos 800 queixas (-2,1%), e a NET, com menos 400 reclamações (-4,1%).

Na TV por assinatura, nos grupos acompanhados individualmente pela agência, apenas a Oi, com menos 700 reclamações (-15,4%), registrou redução no número de queixas em outubro. Ao mesmo tempo, houve aumento de 300 reclamações relativas ao grupo NET/Claro (+1,8%). A Vivo apresentou alta de 200 reclamações (+9%) e a Sky, por sua vez, teve aumento de 100 reclamações (+0,2%).

O crescimento de reclamações de consumidores com a banda larga fixa foi puxado pela NET, que apresentou alta de 1,6 mil queixas (+15,5%). No período, a Vivo teve 700 reclamações a menos (-5,3%) e a Oi teve redução de 500 reclamações (-2,7%).

Problemas com a cobrança são os mais comuns

O maior conjunto de queixas no segmento de telefonia móvel em outubro de 2017 foi relativo à problemas com cobrança (49,2%). Em seguida, estão queixas sobre ofertas e promoções (9,6%) e relacionadas a qualidade, funcionamento e reparo (9,2%). O cenário é parecido na telefonia fixa, que também tem, na cobrança, a maior fonte de reclamações (41,1%). Em seguida estão queixas sobre qualidade funcionamento e reparo (20,7%) e cancelamento (7,8%).

Na telefonia móvel pré-paga, as queixas mais comuns estão ligadas aos créditos (47,4%), ofertas e promoções (15,7%) e qualidade, funcionamento e reparo (12,2%). Na TV por assinatura, as reclamações sobre a cobrança representavam mais da metade do registrado em outubro (50,5%), seguido de qualidade funcionamento e reparo (9,7%) e ofertas e promoções (9,3%).

Leia também: Desembolsos do BNDES registram queda de 20% no acumulado do ano

Ainda de acordo com a Anatel, as empresas de banda larga receberam mais reclamações por conta de qualidade, funcionamento e reparo, que formaram o maior conjunto das queixas (45%). Em seguida, estão cobrança (23,6%) e instalação, ativação ou habilitação (9,4%).

* Com informações da Agência Brasil.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.