Tamanho do texto

Segundo nota da companhia, preço da gasolina terá redução de 0,38% e do diesel, de 1,3% em refinarias; combustíveis acumulam queda em novembro

Brasil Econômico

A Petrobras anunciou nesta quinta-feira (16), no Rio de Janeiro, que o preço da gasolina e do diesel será reduzido nas refinarias de todo o país a partir da zero hora de sexta-feira (17). De acordo com nota divulgada pela empresa, o preço da gasolina terá redução de 0,38%. Ao mesmo tempo, o diesel terá uma redução mais expressiva, de 1,3%. A última alteração foi registrada na quarta-feira (15), quando os preços tiveram alta de 0,3% e 1,2%, respectivamente.

Leia também: ANS arrecada R$ 303,6 milhões com aplicação de multas as operadoras de saúde

Desde o início de novembro, esta é a quarta redução anunciada pela Petrobras no preço da gasolina. O combustível também registrou sete altas no mesmo período. O preço do diesel, por sua vez, teve seis quedas e cinco elevações. No acumulado para os 17 primeiros dias do mês, o preço da gasolina nas refinarias registra queda acumulada de 3,7%. Já o diesel tem retração acumulada de 1,3%.

Alterações frequentes de preços de combustíveis fazem parte de nova política adotada pela Petrobras em junho
Shutterstock
Alterações frequentes de preços de combustíveis fazem parte de nova política adotada pela Petrobras em junho

Leia também: Pretende conceder férias coletivas aos funcionários? Veja passo a passo

O sobe e desce de preços dos dois produtos nas refinarias faz parte da nova política da estatal de acompanhar as oscilações  das duas commodities no mercado internacional, onde as atualizações de preço são quase diárias. Em seu site, a estatal afirma que a política de preços "tem como base o preço de paridade de importação, que representa a alternativa de suprimento oferecido pelos nossos principais concorrentes para o mercado".

A participação da companhia no mercado interno é analisada para determinar manutenção, redução ou aumento nos preços praticados nas refinarias. Anunciado no final de junho, o modelo de reajuste de preços visa dar mais autonomia para a área técnica de marketing e comercialização da estatal. As alterações podem ser realizadas se os reajustes acumulados estiverem, na média Brasil, dentro de um intervalo de 7% para mais ou menos estabelecido pelo Grupo Executivo de Mercado e Preços.

Leia também: Bovespa opera em alta, com avanço de 29% no lucro das empresas no 3º trimestre

Para a Petrobras, a mudança contribui para uma maior aderência dos preços no mercado doméstico ao mercado internacional no curto prazo. Além disso, ajudaria a competir de maneira mais ágil e eficiente, recuperando parte do mercado que a empresa vinha perdendo para derivados importados.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.