Tamanho do texto

Pesquisa do espaço de coworking Spaces aponta que 55% dos profissionais consultados no Brasil já utilizam o modelo pelo menos uma vez por semana

Prática que deve se popularizar ainda mais com a reforma trabalhista, o home office é realidade para mais da metade dos trabalhadores corporativos no país. Segundo pesquisa realizada pelo espaço de coworking Spaces, 55% dos entrevistados no Brasil fazem utilizam o modelo pelo menos uma vez por semana. A pesquisa foi realizada com 900 profissionais antes da chegada da empresa no país, em junho deste ano.

Leia também: Número de negativados chega a 59,3 milhões em outubro, mostra SPC Brasil

Apesar de oferecer uma série de vantagens, o home office  também pode impor dificuldades. De acordo com o levantamento, a dificuldade de se concentrar em assuntos do trabalho é apontada por 48% dos entrevistados como a maior dificuldade do modelo. Em seguida, as interrupções familiares em reuniões e ligações (44%) e a demanda da família por atenção (43%) também aparecem como os principais desafios.

Dificuldade para se concentrar é apontada como a maior dificuldade por quem adota o home office
iStock
Dificuldade para se concentrar é apontada como a maior dificuldade por quem adota o home office

Leia também: Pesquisa apontou que a venda de passagens rodoviárias teve alta de 6% este ano

"Nem sempre a pessoa possui a estrutura ou o ambiente necessários para trabalhar de casa todos os dias, o tempo todo. Por exemplo, poucas pessoas têm um espaço propício para uma reunião em casa", analisa Otávio Cavalcanti, diretor do Spaces no Brasil. "Sem contar que existe a questão das outras pessoas que vivem no local, filhos, etc., que podem interromper momentos de trabalho importantes".

Pensando nisso, muitos recorrem ao trabalho remoto, isto é, trabalham longe do serviço, mas em espaços dedicados que visam oferecer uma estrutura melhor. Entre os motivos para optar pela opção, estão a possibildade de melhorar a concentração (60%) e estar mais perto da família (58%) e clientes (57%). A participação em eventos e sessões de treinamento (48%) e a proximidade com fornecedores (32%) também são apontadas como outras razões.

Em pesquisa global realizada com cerca de 20 mil profissionais, 7% dos entrevistados indicaram escolher espaços de coworking para o trabalho remoto. No Brasil, porém, o número é um pouco mais elevado, chegando a 13% dos respondentes. Além da estrutura que costuma ser oferecida nestes espaços, 57% dos consultados afirmam que espaços de negócios contribuem para um contato mais próximo entre profissionais. Para 56% dos consultados, os espaços ajudam a manter a produtividade.

Leia também: Somente 11% das empresas se regularizaram na Receita Federal em outubro

"É claro que trabalhar de casa é uma vantagem, mas nem sempre o ambiente de casa é o ideal para todos os momentos. E, para esses momentos, os coworkings podem ser ótimas opções. Temos certeza de que é uma tendência que deve crescer muito ainda", analisa Cavalcanti, sobre os prós e contrar do home office. A pesquisa foi realizada com profissionais dos setores de consultoria e serviços, utilities, tecnologia, entre outros.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.