Tamanho do texto

Cálculos mais precisos: “Há uma quantidade finita de Bitcoin que pode existir. Já o ouro é extraído e minado a todo o momento", confira

Brasil Econômico

Em uma entrevista feita pela Deirdre Bosa, da CNBC, no evento Money 20/20 em Las Vegas no último final de semana, o cofundador da Apple, Steve Wozniak, disse que o Bitcoin é melhor do que o ouro e o dólar estadunidense. A diferença, ele explicou, é que o Bitcoin tem um estoque finito, uma vez que apenas 21 milhões podem ser extraídos, supostamente. Ao contrário do dólar dos EUA, ou qualquer moeda regularizada, o Bitcoin não pode ser reimpressa aos caprichos do banqueiro influente. Por outro lado, ninguém sabe exatamente o quanto há de ouro no mundo. O ouro, Wozniak disse, é “meio falso” nesse sentido, enquanto que o Bitcoin é mais “genuíno e real”.

Leia também: Está endividado? Veja como usar o 13º salário para sair do vermelho

No dia 1 de janeiro de 2017, a Bitcoin estava próxima dos US$ 997,67, e a ETC perto dos US$ 8,35
shutterstock
No dia 1 de janeiro de 2017, a Bitcoin estava próxima dos US$ 997,67, e a ETC perto dos US$ 8,35

Isso ocorre após vários meses consecutivos de preços disparados do Bitcoin, subindo mais de US$ 6 mil pela primeira vez há alguns dias atrás. Atualmente, os preços se estabilizaram em torno dos US$ 5,5 mil, mas ainda podemos esperar que o Bitcoin continue demonstrando seu verdadeiro potencial. É por isso que especialistas como Wozniak, da Apple, preveem que esta criptomoeda pode eventualmente substituir o ouro como padrão de valor financeiro – uma ideia, considerada por ele, muito atraente.

“Há uma quantidade finita de Bitcoin que pode existir. Já o ouro é extraído e minado a todo o momento. Talvez haja uma quantidade finita do metal no mundo, mas a moeda criptografada é mais matemática e factível, e ninguém pode mudar a matemática”, explica Wozniak. Em suma, com o Bitcoin como padrão, é difícil adulterar os preços globais.

Leia também: MasterCard anuncia que pagamentos podem ser feitos em Blockchain

Mais estável que o ouro?

Mas a moeda criptografada número um é realmente mais estável? Sim e não. Críticos dirão que é muito propenso à flutuação de valor, tornando-o bastante volátil. Contudo, essa volatilidade pode ser esperada, e não é exclusivo da moeda, disse o cofundador do FundStrat Global Advisor, Tom Lee, ao Business Insider. “Quando as pessoas falam sobre a volatilidade do Bitcoin hoje, eles estão esquecendo que quando saímos do dólar – o padrão-ouro no dólar, a volatilidade do ouro por quatro anos era quase a mesma que a volatilidade do Bitcoin hoje”.

O ponto é, como Wozniak comentou, o Bitcoin é facilmente mais regulado do que o ouro. Ele passou a comparar a estabilidade do Bitcoin com um imóvel. “Por exemplo, sua casa tem um valor. E se é uma casa hoje, daqui 40 anos continuará sendo uma casa, mesmo que o preço suba e o governo tire mais impostos a partir dela”, disse o ex-engenheiro da Apple, cujo interesse pela criptografia começou apenas por diversão.

Governos e reguladores continuam a “experimentar” com o crescente mercado de criptografia, à luz de toda a volatilidade percebida. Alguns tomaram medidas mais severas ao proibir totalmente às moedas. Ainda assim, o BItcoin persiste, e os especialistas preveem que seu valor aumentará drasticamente nos próximos meses. E você, concorda com o cofundador da Apple?

Leia também: Conheça o processador da Intel construído para redes neurais

Com tradução de futurism.com

    Leia tudo sobre: inovação