Brasil Econômico

Para assistente econômica da CNC, intenção de consumo das famílias segue em recuperação lenta, porém progressiva
shutterstock
Para assistente econômica da CNC, intenção de consumo das famílias segue em recuperação lenta, porém progressiva



A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) divulgou nesta terça-feira (24) um avanço de 1,4% na Intenção de Consumo das Famílias (ICF), que atingiu 77,9 pontos na transição de setembro para outubro. O aumento observado no mês foi considerado a maior variação mensal desde março deste ano. Se comparado ao mesmo período do ano passado, o índice cresceu 5,4%. Vale mencionar que o ICF varia em uma escala de zero a 200.

Leia também: Nubank anuncia lançamento de conta digital com investimento automático

“A intenção de consumo das famílias segue em recuperação lenta, porém progressiva. Os sinais de regeneração do mercado de trabalho deverão contribuir para elevar o grau de confiança dos consumidores nos próximos meses, dando sustentabilidade ao ritmo de crescimento das vendas”, afirmou a assistente econômica da CNC , Juliana Serapio.

Emprego

Em outubro, o emprego atual apresentou crescimento de 0,9% se comparado ao mês anterior. Se levada em consideração a base comparativa anual, a melhora é de 1,7%. O percentual de famílias que afirmam se sentir mais seguras em relação ao emprego atual também aumentou, indo de 30,7% para 31,7%.

Você viu?

Outro dado levantado foi o avanço de 1,5% na percepção das famílias sobre a renda anual, apontada como a maior taxa desde os 2,7%, apurados em março. Em comparação a outubro do ano passado, o acréscimo foi de 1,6%.

A preocupação das famílias acerca do mercado de trabalho, que integra o componente Perspectiva Profissional, registrou queda de 0,9%, com 93,1 pontos.  O recuo foi de 5,7% em relação ao mesmo período do ano anterior. 

Leia também: Portaria do trabalho escravo é suspensa pela ministra Rosa Weber

Perspectiva de consumo 

O Nível de Consumo Atual foi outro componente a crescer no mês, com alta de 0,7%, atingindo 54,5 pontos. Frente a 2016, o avanço foi de 14,8%. De acordo com a apuração, a maioria das famílias disse estar com o nível de consumo menor do que o do ano anterior, passando de 59,6% para 59,3%. O recuo não influenciou na Perspectiva de Consumo, que registrou elevação de 5,4% no mês e de 16,7% no ano.

O item Momento para Duráveis subiu 2,3% na comparação mensal e 16,7% ante a outubro do ano passado. Já o item Acesso ao Crédito, que alcançou 71,7 pontos, apresentou alta de 1,3% no mês e de 7,4% no ano.

O fôlego mais acentuado nas vendas em comparação ao ano passado fez com que a CNC ajustasse de 2,2% para 2,8% sua projeção para o desempenho do varejo ampliado ao final de 2017. Tal mudança contribui para reforçar a expectativa do primeiro crescimento anual de vendas do setor desde 2013. É importante ressaltar que esse cenário tem como base a percepção de que a inflação deverá permanecer livre de pressões, para que as taxas de juros possam manter o ritmo de queda.

Leia também: Amazon vende casas pré-fabricadas de baixo custo em sua loja virtual; veja

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários