Brasil Econômico

Pesquisa aponta que 27% dos empresários acreditam que nível de endividamento será maior este ano
iStock
Pesquisa aponta que 27% dos empresários acreditam que nível de endividamento será maior este ano

De acordo com uma pesquisa realizada pela Boa Vista SCPC, a previsão de tomada de crédito do empresariado brasileiro neste último trimestre, caiu 11 pontos percentuais, se comparado ao ano anterior. Em relação ao primeiro trimestre deste ano, 48% dos empresários estavam confiantes para investir em seus negócios. No terceiro trimestre, aproximadamente 37% deles demandarão mais crédito até o final do ano, por conta dos investimentos pretendidos. Já os que tomarão crédito para o pagamento de empréstimos e credores cresceu de 18% para 29%.

Leia também: Compliance tem maior atenção dos empresários após repercussão da Lava Jato

Na comparação setorial, o comércio foi o com maior alta na demanda por crédito para pagamento de dívidas, ao passar de 9% no primeiro trimestre para 29% no terceiro. Cerca de 48% dos empresários da indústria tinham a pretensão de tomar crédito para realizar investimentos. Vale mencionar que, na última pesquisa, esse percentual havia recuado para 33%. Entretanto, ainda neste segmento, houve crescimento na intenção em demandar crédito com o intuito de alavancar o capital de giro, com 12 pontos percentuais. A taxa de microempresas que demandam crédito para investir recuou de 67% no primeiro trimestre para 31% no terceiro.

Faturamento e otimismo

A expectativa de acréscimo no faturamento das empresas neste ano apresentou uma queda de 15 pontos percentuais. No primeiro trimestre, 54% dos entrevistados acreditavam que o faturamento de suas entidades no final desse ano fosse superar o resultado de 2016. No terceiro trimestre, 39% demostraram confiança na alta estimada. Por outro lado, o empresariado se mostrou menos otimista em relação ao faturamento, ao recuar de 48% para 35%. É importante ressaltar que as médias das empresas previam crescimento de 60%.

Você viu?

Leia também: FGV: índice que reajusta os contratos do aluguel recua em outubro

Por setor, a queda mais significativa foi observada na indústria, uma vez que a taxa de daqueles que estavam otimistas com o avanço nos negócios decresceu de 60% no primeiro trimestre para 40% no terceiro. No setor de serviços, a expectativa de crescimento no faturamento ao final deste ano caiu 10 pontos percentuais, assim como o setor do comércio.

Endividamento

No geral, houve elevação de 13 pontos percentuais na expectativa de que a inadimplência será ainda mais alta no final de 2017. Cerca de 43% das médias empresas e 31% das grandes intuem esse crescimento. No primeiro trimestre, os percentuais foram de respectivamente, 18% e 21%. No setor de serviços essa estimativa cresceu de 25% para 34%, assim como a do comércio e da indústria, que saltaram de 13% e 17% para 26% e 28%.

A pesquisa ainda avaliou a percepção dos empresários acerca do nível de endividamento. No início deste ano, 18% deles acreditavam que se endividariam mais do que no ano passado, enquanto que no terceiro trimestre esse percentual cresceu para 27%.  No que se diz respeito ao setor da economia, as empresas do segmento de serviços aparecem entre as com as altas mais acentuadas, ao passar de 20% no primeiro para 33% no terceiro trimestre.

Leia também: Gilmar Mendes faz críticas às discussões sobre o trabalho escravo; entenda

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários