Brasil Econômico

undefined
Reprodução
Comparadores de preços fazem cotação com companhias e levam passagens aéreas mais baratas ao consumidor

Mesmo após as companhias passarem a cobrar para despachar a bagagem, em junho deste ano, o preço das passagens aéreas aumentou, contrariando as expectativas de queda. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), entre julho a setembro, os bilhetes ficaram 9,37% mais caros.

Leia também: Especialista em segurança dá dicas para quem vai sacar o PIS/Pasep; veja

Com o aumento das passagens aéreas , os comparadores de preços se tornaram ainda mais úteis para os brasileiros. De acordo com pesquisas, o Brasil é hoje o oitavo País do mundo que mais acessa ferramentas do tipo. Em esclaa global, a utilização do mecanismo cresceu três vezes entre 2014 e 2017.

O estudo Embracing Airline Digital Transformation indica que, ao escolher um voo, o mais relevante para o consumidor é realmente o preço, considerado o fator mais importante para 37% dos entrevistados. Em seguida vêm conveniência (31%), escolha do destino (21%), serviço e suporte ao cliente (6%). Comidas e bebidas gratuitas a bordo (5%) ficam em último lugar nessa avaliação.

Nesta busca pela redução de custos, os comparadores de preços são os primeiros endereços acessados pelos usuários (27%), logo depois vem a consulta presencial ou por telefone ao agente de viagem (25%), os sites das companhias aéreas (24%), OTAs (6%), sites de avaliações (5%) e outros (13%).

Uma das principais ferramentas do tipo no Brasil é o Voopter. Segundo o CEO da empresa, Pettersom Paiva, o serviço ajuda o usuário a encontrar a passagem aérea mais barata dentro de seus critérios de busca e redirecioná-lo para finalização da compra.

Leia também: Empresários preveem queda na tomada de crédito para investimentos

Entre os destaques da Voopter, Paiva cita o calendário multidatas. “É possível selecionar até 4 dias para ida e volta, que não precisam ser do mesmo mês ou da mesma semana, descobrindo assim, qual é o período mais barato para a viagem. Além disso, nosso usuário conta com um serviço de alerta via email, que o notifica quando uma passagem está dentro dos padrões de data e preço escolhidos”, afirma Paiva.

Para a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), ainda é cedo pra fazer uma avaliação dos preços. A agência informou que calcula o preço médio com base em todas as passagens vendidas e que vai divulgar o relatório das tarifas no começo do ano que vem.

Como são definidos os preços?

Apesar da grande oscilação, o preço das passagens é definido de forma simples. Para determinar os valores, as companhias aéreas levam em consideração não apenas os gastos relativos ao voo, mas também a demanda de mercado.

Datas, antecedência, época do ano, horário e número de escalas são fatores que podem influenciar no preço. Quanto mais procurado é um roteiro, mais a tarifa pode aumentar. No entanto, se a procura for baixa, ela pode cair.

Leia também: Renda Básica Universal será testada em cidade da Califórnia, nos EUA

Além do preço das passagens aéreas, há ainda a taxa de embarque, que varia de acordo com a categoria do aeroporto de saída e o tipo de viagem, que pode ser doméstica ou internacional. O valor arrecadado é revertido em serviços e processos dos terminais do aeroporto, como o embarque e desembarque e a segurança do local.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários