Tamanho do texto

Bayer utilizará os recursos líquidos do desinvestimento anunciado para refinanciar parcialmente a aquisição planejada da Monsanto; confira

Brasil Econômico

Nesta sexta-feira (13), a Bayer divulgou o acordo feito com a empresa química alemã BASF de 5,9 bilhões de euros. No pacote está à venda de parte dos negócios da Crop Science, vertical da empresa que cuida de insumos agrícolas.

Leia também: Estaria o Facebook planejando competir com a Inteligência Artificial do Google?

Como parte do acordo com a Bayer, a BASF se comprometeu a manter todos os cargos permanentes, em condições similares, durante pelo menos três anos após o fechamento da operação
Divulgação
Como parte do acordo com a Bayer, a BASF se comprometeu a manter todos os cargos permanentes, em condições similares, durante pelo menos três anos após o fechamento da operação

Em declaração, o presidente do Conselho de Administração da Bayer AG, Werner Baumann, afirma que a decisão da empresa faz parte de uma abordagem ativa para lidar com potenciais preocupações regulatórias com o objetivo de facilitar o fechamento bem-sucedido da operação com a Monsanto. Baumann também garante que está satisfeito com o acordo feito com a BASF, uma vez que a empresa adquirente continuará atendendo às necessidades dos produtores e oferecendo perspectivas de longo prazo.

Venda

Na negociação foi inclusa a atividade global de glufosinato de amônio da Bayer e a tecnologia LibertyLink™ para tolerância a herbicidas, além de praticamente todos os serviços de sementes de culturas de campo da empresa, bem como as respectivas capacidades de pesquisa e desenvolvimento.

Entre os negócios de sementes que passam pelo processo de desinvestimento estão as atividades globais de sementes de algodão (excluindo Índia e África do Sul), assim como as operações da Europa e dos Estados Unidos referentes às sementes de canola e de soja.

Além disso, no acordo foi incluso a transferência da propriedade intelectual e instalações relevantes, bem como mais de 1,8 mil colaboradores da Alemanha, Bélgica, Brasil, Canadá e Estados Unidos. “Como parte do acordo, a BASF se comprometeu a manter todos os cargos permanentes, em condições similares, durante pelo menos três anos após o fechamento da operação”, informa a nota.

Leia também: Quanto vale suas informações genéticas? Startup transforma dados em negócio

Intensões

"Com esta aquisição, estamos aproveitando a oportunidade para comprar ativos altamente atraentes em cultivos de linha e mercados-chave. Estamos ansiosos para expandir esses negócios inovadores e rentáveis e para receber a equipe experiente e dedicada em proteção de culturas, sementes e traits. Esses negócios são uma excelente combinação para o portfólio do Grupo BASF", comentou o presidente do Conselho de Administração da BASF SE, Kurt Bock.

Já a Bayer utilizará os recursos líquidos do desinvestimento anunciado para refinanciar parcialmente a aquisição planejada da Monsanto. Além disso, a empresa comunica que continua a possuir, operar e manter esses negócios até a conclusão do acordo. Após o fechamento da aquisição planejada da Monsanto, a Bayer permanecerá ativa nas mesmas áreas como resultado dos programas, produtos e ofertas atuais da Monsanto.  

Leia também: Acordo entre Correios e entidades sindicais preserva benefícios aos funcionários