MEI: parcelamento de débitos em até 120 meses será permitido até o dia 02 de outubro
shutterstock
MEI: parcelamento de débitos em até 120 meses será permitido até o dia 02 de outubro


Até o dia 02 de outubro, os Microempreendedores Individuais (MEI) podem aderir ao parcelamento especial de débitos juntos a Receita Federal (RF), informou nesta sexta-feira (15) o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC).

Leia também: Restituição do 4º lote do Imposto de Renda está disponível a partir desta sexta

O MDIC explicou que no regime especial de parcelamento de dívidas quem é formalizado como MEI pode dividir os débitos da microempresa em até 120 meses os impostos que não foram pagos até o mês de maio deste ano.

Caso o microempreendedor não faça adesão ao parcelamento especial, poderá quitar os débitos na modalidade ordinária, porém o número de parcelas cai pela metade, sendo possível parcelar os impostos atrasados em até 60 meses.

Você viu?

Como parcelar

Os microempreendedores interessados em parcelas os débitos em longo prazo, devem fazer a adesão ao programa por meio do Portal do Empreendedor.  Para ter acesso à iniciativa, o microempresário deve ter feito a Declaração Anual Simplificada para o Microempreendedor Individual (DASN-Simei) relativa aos respectivos períodos de apuração, que pode ser realizada no próprio Portal. Na solicitação tambpem será possível calcular a quantidade de parcelas a serem pagas com valor mínimo de R$ 50.

Leia também: Veja sete eventos sobre startups que acontecem em São Paulo até novembro

A Receita Federal do Brasil (RFB) estima que haja em torno de R$ 1,7 bi de débitos declarados e não pagos pelos microempreendedores individuais, o que atinge um total de aproximadamente 2 milhões de microempresas. Os dados são de junho de 2017, quando teve início o prazo para adesão em ambas as modalidades.

Menos burocrácia

O MDIC informou ainda que a Secretaria Especial de Micro e Pequena Empresa (Sempe) é a responsável pela gestão do Portal do Empreendedor, principal meio para que os Microempreendedores Individuais têm para fazer os todos os trâmites burocráticos. No mesmo canal, o empreendedor pode formalizar o seu negócio para poder ter direito a todos os benefícios de quem já é MEI.  Ele passa a ter CNPJ e pode usufruir de benefícios como aposentadoria por idade, aposentadoria por invalidez, auxílio-doença, salário-maternidade, facilidade na abertura de conta bancária, emissão de notas fiscais, dentre outros.

Leia também: Receita Federal cria medida que regulamenta parcelamento de débitos do MEI

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários