Tamanho do texto

“A decisão de Trump pode deixar a Terra parecida com o planeta Vênus, com temperaturas altíssimas, e com chuvas ácidas”, avalia o físico; entenda o caso

Brasil Econômico

O famoso físico Stephen Hawking fez uma declaração em resposta à recente decisão do presidente, Donald Trump de retirar os Estados Unidos do Acordo Climático de Paris . Em entrevista à BBC News - antes da Conferência de Cosmologia realizada na Universidade de Cambridge em homenagem ao seu 75º aniversário – o cientista avalia que a decisão de Trump causará um prejuízo irreversível ao planeta.

Leia também: Testes de cosméticos em animais: Projeto de lei australiano quer proibir método

“A mudança climática é um dos grandes problemas que temos de enfrentar, e isso só será resolvidos se agirmos agora”, diz Stephen Hawking
shutterstock
“A mudança climática é um dos grandes problemas que temos de enfrentar, e isso só será resolvidos se agirmos agora”, diz Stephen Hawking

“Estamos perto do ponto de inflexão, onde o aquecimento global se torna irreversível”, disse Stephen Hawking a Pallab Ghosh do BBC durante a celebração. As consequências podem ser verdadeiramente terríveis, informou. “A ação de Trump pode deixar a Terra parecida com o planeta Vênus, com temperaturas próximas de 250 graus [em Celsius é equivalente a 107,2º], e com chuvas ácidas”.

Com certeza, isso poderia ser um exagero por parte de Hawking, uma vez que projetar uma Vênus 2.0 pode ser algo extremo. Mesmo assim, os efeitos do aquecimento global e da mudança de clima são reais e não podem ser ignorados. “Ao negar as mudanças do clima - que de fato estão acontecendo - e sair do Acordo Climático de Paris, Donald Trump vai causar um dano ambiental que poderia ser evitado para o nosso planeta, ameaçando o mundo para nós e nossas crianças”, adicionou Hawking.


Leia também: Exagero? Brasileiros consideram aplicativo tão importante quanto comer e beber

Encarando o problema

Enquanto os Estados Unidos saem do acordo de Paris, muitos estados têm derido à causa de lutar contra a mudança climática independente de acordos históricos. O Havaí, por exemplo, decretou uma lei para formalizar os esforços do Acordo Climático de Paris, ao mesmo tempo em que um número de indústrias líderes e inovadoras têm prometido abraçar a missão do acordo, mesmo sem um apoio governamental.

Enquanto os governos do mundo debatem políticas para mudar o clima e o aquecimento global, o planeta continua sofrendo os efeitos. As calotas polares continuam derretendo mesmo com o periódico congelamento.

De forma mais simples, a cada ano que passa há menos gelo. Muitas áreas estão em perigo, se afundando, como a Isle de Jean Charles, localizada em Luisiana, nos Estados Unidos. Em outros lugares nos EUA, um novo estudo apontou que o clima atingirá fortemente os estados da Flórida, Arizona, Texas e os estados do Sul, não apenas ambientalmente, mas também economicamente.

Hawking previu anteriormente que o tempo da humanidade na Terra é calculável – menos de 100 anos, para ser exato. Naquela época, Hawking colocou que não teríamos escolha a não ser fugirmos para outro planeta. Este ponto, ele reiterou à BBC dizendo: “eu temo que a evolução tenha embutido ganância e agressão ao genoma humano. Não há sinal de diminuição de conflitos, e o desenvolvimento de tecnologia militar e armas de destruição pode tornar isso [mais] desastroso. A melhor esperança para a humanidade sobreviver podem ser colônias independentes no espaço”.

Independente de deixar ou não a Terra para sempre, o problema do clima em curso é aquele com o qual temos que lidar agora. Como Stephen Hawking notificou, “a mudança climática é um dos grandes problemas que temos de enfrentar, e isso só será resolvidos se agirmos agora”.

Leia também: Empresa de Elon Musk inicia escavação de túneis com trenó elétrico para carros

*Com tradução de futurism.com

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.