Tamanho do texto

O dinheiro voltará aos cofres públicos e todo o valor é recuperação de contas ilegais no exterior de pessoas relacionadas e presas pela Operação Lava Jato

Brasil Econômico

Foi anunciado nesta sexta-feira (30) que o Brasil e a Suíça firmaram um acordo de repatriação para que US$ 1,5 milhão retorno ao Brasil. O montante foi recebido de forma ilícita por um dos investigados da Operação Lava Jato, que desmantelou o maior esquema de corrupção do País.

Leia também: Desemprego atinge 13,8 milhões de brasileiros no trimestre encerrado em maio

Cofres públicos terão de volta mais de US$ 1,5 milhão após acordo de repatriação entre o Brasil e a Suíça
iStock
Cofres públicos terão de volta mais de US$ 1,5 milhão após acordo de repatriação entre o Brasil e a Suíça


O pedido de cooperação jurídica internacional para a repatriação foi feito em dezembro de 2016 pela Procuradoria da República no Paraná e encaminhado ao Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional, autoridade central brasileira para cooperação jurídica com a Suíça.

Com o acordo firmado entre as partes, o valor substancioso retornará aos cofres públicos brasileiros muito em breve. Foi informado ainda que o dinheiro foi encontrado depositado em uma conta de um banco suíço, mais especificamente em nome de empresas offshores .

Offshores são contas bancárias e empresas abertas em territórios beneficiários do estatuto de paraíso fiscal, no caso a suíça, e essa era controlada por João Carlos de Medeiros Ferraz.   Ele é ex-presidente da Sete Brasil, empresa criada pela Petrobras em 2010 para administrar sondas de exploração do pré-sal.

Após fechar acordo de delação premiada em 2015, foi informada por ele a conta na Suíça. Segundo o Ministério da Justiça, o recurso foi obtido por meio de crimes de corrupção e lavagem de dinheiro.

Além do retorno do dinheiro de corrupção que está fora do Brasil, à cooperação com a Suíça também envolve o envio de documentos para os investigadores brasileiros.

Leia também: Reformas contribuem para quedas da inflação e dos juros, defende Banco Central

Operação

A Operação Lava Jato , da Polícia Federal, começou a ser deflagrada em 2014 para investigar denúncias de desvios de dinheiro na estatal Petrobras. De acordo com o Ministério Público Federal (MPF), a Lava Jato é a maior investigação de corrupção e lavagem de dinheiro feita no País até o presente momento.

 Estima-se que o volume de recursos desviados dos cofres da Petrobras esteja na casa dos bilhões de reais, segundo o MPF e o acordo de repatriação ajudará o governo brasileiro a ter de volta o dinheiro roubado no País.

*Com informações da Agência Brasil

Leia também: Prazo para sacar PIS/Pasep ano-base 2015 será prorrogado; confira

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas