Tamanho do texto

Para consultor, empresas que trabalham esse conceito junto aos funcionários atraem grandes profissionais, além de reter e motivar seus colaboradores

Brasil Econômico

Entenda o que é remuneração total e os valores que a agregam
shutterstock
Entenda o que é remuneração total e os valores que a agregam

Mesmo com a consciência de que o valor de um salário é uma informação pessoal que não deve ser compartilhada com todos de uma empresa, é recorrente ouvir queixas de trabalhadores acerca da quantia, uma vez que grande parte é direcionada para impostos , esquecendo-se assim, da remuneração total.

Leia também: Repatriação: Brasil deve recuperar US$ 1,5 milhão após acordo com a Suíça

Em contrapartida, é difícil encontrar pessoas que entendam o que realmente recebem, ou seja, a sua r emuneração total – termo muito utilizado por profissionais de Recursos Humanos para se referir ao salário, juntamente da inclusão de valores não percebidos ou considerados pelos trabalhadores. Mas afinal, qual a importância do conhecimento desses valores para empresas e funcionários?

“Para a empresa é fundamental, pois, em qualquer tipo de planejamento a mensuração desses valores de forma adequada ajudará no equilíbrio econômico e em seus resultados, além de ser uma ferramenta motivacional para as equipes. Já para o trabalhador, muitas vezes só se observa e prevalece o salário mensal (salário base) e, em muitas oportunidades, a pessoa troca de emprego sem considerar outras vantagens presentes na composição salarial, podendo com esta decisão ter grandes prejuízos”, afirma o consultor e diretor da Bazz Consultoria e Estratégia em RH, Celso Bazzola.

Planejamento estratégico

Essa remuneração tem como componente os valores que são pagos em “dinheiro” considerando os seguintes pontos: salário base (Salário Nominal); salário variável a curto prazo (comissão, prêmios, Programa de Participação nos Lucros e Resultados - PLR, bônus, gratificações); salário variável a longo prazo (stock options, bônus diferido); adicionais legais (ex.: periculosidade, insalubridade, adicional de turno, anuênio) e os benefícios oferecidos (ex.: plano médico e odontológico, seguro de vida, vale refeição, carro, previdência privada).

Leia também: Desemprego atinge 13,8 milhões de brasileiros no trimestre encerrado em maio

Com isso, a empresa que trabalha esse conceito junto aos funcionários tem ferramentas mais eficazes que atraem grandes profissionais, além de reter e motivar os colaboradores. Entretanto, Bazzola expõe que por mais que essas remunerações paralelas sejam interessantes e contabilizadas para o trabalhador, é importante que seus pagamentos sejam feitos de maneira organizada.

Outro ponto importante para a aplicação e formação da mesma é a sua participação no planejamento estratégico da empresa, a partir do qual haverá a composição conforme os objetivos da entidade e das áreas envolvidas no resultado.

Além disso, o consultor ressalta a necessidade de uma comunicação adequada. “O grande erro das empresas é que elas não mostram o quanto pagam para os seus colaboradores, por isso que, muitas vezes perdem seus profissionais por causa de propostas menos interessantes, num processo que todos perdem”.

Ainda acerca da remuneração total, ele aponta o holerite do empregado como uma das possibilidades de demonstração, o que assegura a recepção da informação e sua valorização. Para isso, ferramentas que possibilitam a mensuração individual desses gastos são fundamentais. Por fim, há o benefício total, que pode dar grande retorno para empresa, já que objetiva reter e atrair talentos e ser competitivo com seus concorrentes.

Leia também:Reformas contribuem para quedas da inflação e dos juros, defende Banco Central

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas