Tamanho do texto

Rabello afirmou que o ideal para uma megaempresa é que “o controlador tenha dado grandes e notáveis contribuições para o desenvolvimento”

JBS é investigada pela PF, que apura se o BNDES teria favorecido o grupo em esquema que envolveu R$ 8,1 bilhões
Divulgação
JBS é investigada pela PF, que apura se o BNDES teria favorecido o grupo em esquema que envolveu R$ 8,1 bilhões

O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Paulo Rabello de Castro, defendeu o afastamento da família Batista do comando da JBS e a revisão da composição do conselho de administração da empresa. O dirigente foi questionado sobre a posição do banco em relação à participação da família Batista do comando da JBS durante entrevista coletiva após o lançamento do Canal do Desenvolvedor MPME, voltado para o financiamento das micro, pequenas e médias empresas.

Leia também: Avião com meia tonelada de droga decolou de fazenda da empresa de Blairo Maggi

Acionista com participação de mais de 20% na JBS, o BNDES solicitou a convocação de uma assembleia geral extraordinária para discutir o assunto, informou o presidente do banco. “Se a companhia, além do mais, está passando por um período delicado, que é associado à figura desses administradores, mais uma razão para que essa composição [do conselho] seja revista”, completou o presidente do banco.

Rabello afirmou que o ideal para uma megaempresa, de nível mundial, é que “o controlador tenha dado, em passos anteriores, grandes e notáveis contribuições para o desenvolvimento”. “Chega um determinado momento em que o ideal é a que a companhia esteja completamente profissionalizada, porque começam a surgir, e podem surgir em qualquer empresa, alguns conflitos de interesse entre alguém que detém 40% de uma companhia e os interesses que dizem respeito a 100% do capital acionário”, ressaltou.

Leia também: Palocci é condenado a 12 anos de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro

A JBS é investigada pela Polícia Federal na Operação Bullish, que apura se o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social teria favorecido o grupo em um esquema que envolveu cerca de R$ 8,1 bilhões – considerando todas as operações realizadas. Os aportes ocorreram entre 2007 e 2011.

Na semana passada, Joesley Batista prestou depoimento sobre o caso, porque, quando a operação foi deflagrada, em 12 de maio, estava fora do país. Ele também fez denúncia contra o presidente Michel Temer em delação premiada cuja validade está sendo discutida pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Leia também: Lei permite conceder desconto em compras pagas à vista; entenda

Canal do Desenvolvedor

O novo canal lançado pelo BNDES é uma plataforma simplificada e interativa para empresas com faturamento anual de até R$ 300 milhões. Por este meio, as micro, pequenas e médias empresas podem manifestar o interesse por crédito e obter melhores condições de negociação com os bancos. O empresário identifica as linhas de crédito mais adequadas para o seu empreendimento, simula financiamentos, aponta os agentes financeiros intermediadores de sua preferência e encaminha. O canal pode também ser acessado por dispositivos móveis.

* Com informações da Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.