Tamanho do texto

Levantamento da Serasa Experian ainda aponta alta de 18,6% se comparado ao mês de abril; para economistas, demanda cresceu após quedas na inflação

Brasil Econômico

A busca dos consumidores por crédito apresentou alta em maio. Segundo dados divulgaods nesta quarta-feira (21) pelo Indicador Serasa Experian, a demanda subiu 7,2% na comparação com o mesmo período do ano passado e 18,6% em comparação com o mês de abril deste ano. No acumulado entre janeiro e maio, houve elevação de 1% se comparado ao mesmo período de 2016. 

Leia também: Setor de franquias representa 2,4% do PIB brasileiro, diz presidente da ABF

Para economistas da Serasa Experian, o crescimento da demanda dos consumidores se deve à queda da inflação a da taxa básica de juros, a Selic. Segundo os analistas, estes recuos "estão, aos poucos, devolvendo o estímulo ao consumidor a retornar, ainda que muito, gradualmente, ao mercado de crédito ". De acordo com o levantamento, a maior alta ocorreu nas faixas de renda mais baixas.

Segundo a pesquisa, faixas de renda mais baixas registraram as maiores elevações de demanda por crédito
Istockphoto
Segundo a pesquisa, faixas de renda mais baixas registraram as maiores elevações de demanda por crédito

Leia também: Dor nas costas é doença que mais gera afastamento do trabalho

Entre os consumidores que ganham até R$ 500, a elevação foi de 9,3% em maio, na comparação com o mesmo mês do ano passado. Na faixa entre R$ 500 e R$ 1 mil, o aumento foi de 8,2%. Entre R$ 1 mil e R$ 2 mil, o crescimento foi de 6,4%. Entre R$ 2 mil e R$ 5 mil, a alta foi de 5,7%. Entre R$ 5 mil e R$ 10 mil, a alta foi de 5,2% e, acima de R$ 10 mil, ficou em 5,8%.

Na comparação com os primeiros cinco meses do ano passado, as faixas de renda mais baixas também registraram as maiores altas na demanda por crédito. Entre os consumidores que recebem até R$ 500 mensais, houve alta de 2,6%. Para os que recebem entre R$ 500 e R$ 1 mil mensais, a elevação foi de 1,9%. O levantamento registrou recuo entre os que ganham mais de R$ 2 mil por mês.

Análise por região

A alta da demanda em maio na comparação com o mesmo período do ano passado ocorreu em todas as regiões do País. As maiores foram na região Norte (12,3%), Nordeste (8,6%) e Sul (8,1%). No Sudeste, a expansão foi de 6,7% e no Centro-Oeste, de 2,2%. Nos primeiros cinco meses do ano, a demanda registra retração somente no Centro-Oeste (-2,6%).

Leia também: Golpe usa o nome do Uber e atrai consumidor com desconto de R$ 100

As demais regiões apresentaram crescimento na procura do consumidor por crédito, com o Nordeste em primeiro lugar, com alta de 3,1%. Em seguida, estão Sul (1,9%), Norte (1,3%) e Sudeste (0,5%).

* Com informações da Agência Brasil.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.