Tamanho do texto

A afirmação foi feita após encontro com o secretário-geral da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), Angél Gurría

Após se encontrar com o secretário-geral da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), Angél Gurría, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou que a organização mostrou interesse em abrir um escritório no Brasil.

Leia também: Banco Central tem novo teto máximo para aplicação de multas administrativas

Ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou que organização estuda ter um escritório no Brasil
Rovena Rosa/Agência Brasil - 7.6.17
Ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou que organização estuda ter um escritório no Brasil


Segundo Henrique Meirelles , a intenção foi informada a ele nesta quinta-feira (8) em encontro ocorrido em Paris.  “Nós concordamos e vamos formalizar isso rapidamente”, afirmou o ministro.

Meirelles informou à imprensa que a reunião dele com o secretário-geral da OCDE , Angél Gurría, foi “extremamente positiva”. Ela afirmou que Gurría “expressou satisfação muito grande” ao saber que o Brasil pediu para fazer parte da organização. “A entrada na OCDE faz parte de uma agenda de modernização da economia, de adoção de padrões modernos de administração e normatização econômica”, afirmou.

Ele fez questão de ressaltar o potencial da economia brasileira para justificar o pedido feito pelo governo de Michel Temer de ingressar na OCDE.  “A ideia da OCDE é ser uma organização que congrega os países mais relevantes do mundo. O Brasil é hoje um desses países. Uma organização que pratica e demanda normas modernas de administração econômica, de gestão, de transparência, abertura e ética, etc. E, claramente, o Brasil se enquadra. Tudo aquilo que a OCDE propõe já estamos aplicando, faz parte da agenda de reformas do País”, acrescentou Meirelles.

Leia também: Receita abre consulta a primeiro lote de restituição do IR deste ano; consulte

Pedido

Na última semana, Michel Temer e a equipe econômica de seu governo apresentaram pedido formal para aderir à organização internacional de 35 países, baseada nos princípios da democracia representativa e da economia de livre mercado. Na data, o porta-voz da Presidência da República, Alexandre Parola, o País tem ficado atento às atividades promovidas pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico desde 1994 e, em 2007, foi convidado para um “engajamento ampliado”, com a intenção de tornar o País parte integrante desse bloco de economias emergentes.

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, mostra otimismo quando a inserção do Brasil na organização. Entretanto, caso esse desejo se realizado e o convite chegue ao País, será necessário uma adequação exigida a todos os comitês do organismo. Essas exigências vão desde a legislação ambiental que terá de estar de acordo com a OCDE, até normas tributárias .

Leia também: Empreendedorismo: veja histórias de quem já faliu e hoje fatura milhões

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas