Tamanho do texto

O reajuste será aplicado no Gás Liquefeito de Petróleo, ou botijão de 13 quilos e o valor será reajustado mensalmente pela estatal; entenda

A partir desta quinta-feira (8) os consumidores vão pagar mais caro pelo botijão de gás. Em comunicado, a Petrobras informou que Diretoria Executiva da estatal aprovou nova política de precificação para comercialização do insumo às distribuidoras do Gás Liquefeito de Petróleo, que nada mais é o gás vendido em botijões de 13 quilos e de uso residencial.

Leia mais: Deputados aprovam plano de recuperação do Rio de Janeiro

Botijão de gás vai ficar mais caro este mês, diz Petrobras
Arquivo/Agência Brasil
Botijão de gás vai ficar mais caro este mês, diz Petrobras


“A aplicação da nova fórmula de preços para o GLP-P13 implicará um aumento médio nas refinarias de 6,7% no produto este mês. O preço final ao consumidor pode ou não refletir o ajuste feito nas refinarias. Isso dependerá de repasses feitos por outros integrantes da cadeia de combustíveis, especialmente distribuidoras e revendedores, uma vez que a lei brasileira garante liberdade de preços no mercado de combustíveis e derivados”, informou a Petrobras em seu comunicado ao mercado.

Foi informado que os reajustes serão mensais, sendo o do mês de junho de 6,7%. Os meses seguintes, o valor do reajuste será calculado “pela média mensal das cotações do butano e do propano no mercado europeu convertida em Reais pela média diária das cotações de venda do dólar, conforme divulgada pelo Banco Central , acrescida de uma margem de 5%”, explicou o comunicado.

Leia também: Acaba dia 30 prazo para o saque do benefício do PIS/PASEP ano base de 2015

Política de preços

As correções de preços terão vigência a partir do dia 05 de cada mês. A estatal explicou que a nova política de precificação para o botijão de gás doméstico vai de acordo com o que for de interesse para a política energética nacional e que o reajuste foi aplicado uma vez que o GLP-P13 tinha defasagem de preço frente a outros tipos de gás comercializados no País.

Na composição de preços ao consumidor, a Petrobras responde por cerca de 25% do valor final, outros 20% são tributos e o restante do preço é composto por distribuição e revenda (55%).  O ajuste anunciado foi aplicado sobre os preços praticados pela Petrobras sem incidência de tributos. Se for integralmente repassado aos preços ao consumidor, a companhia estima que o botijão de GLP-P13 pode subir, em média,  2,2% ou R$ 1,25/botijão, isso se forem mantidas as margens de distribuição e de revenda e as alíquotas de tributos.

Leia também: Restituição IR 2017: Receita Federal abre consulta ao primeiro lote

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.