Tamanho do texto

Considerando apenas o mês de maio, o superávit da balança foi de US$ 7,661 bilhões; superávit acontece quando as exportações superam as importações

Superávit da balança comercial contou com aumento de 7,5% nas exportações do mês de maio
Arquivo/Tânia Rêgo/Agência Brasil
Superávit da balança comercial contou com aumento de 7,5% nas exportações do mês de maio

A balança comercial brasileira registrou um superávit de US$ 29 bilhões no acumulado de janeiro a maio deste ano. O saldo positivo é o maior para o período desde o início da série histórica, em 1989. As informações foram divulgadas nesta quinta-feira (1) pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços.

Leia também: Produção de petróleo no Brasil cresce 10,9% em abril, aponta balanço da ANP

Considerando apenas o mês de maio, o superávit da balança comercial foi de US$ 7,661 bilhões, recorde mensal. O superávit acontece quando as exportações (vendas do Brasil para parceiros de negócios no exterior) superam o valor das importações (compras do país no exterior).

As exportações brasileiras no último mês ficaram em US$ 19,792 bilhões, superando os US$ 12,131 bilhões em importações. O crescimento das exportações foi de 7,5% em relação a maio de 2016 segundo o critério da média diária, que leva em conta o valor negociado por dia útil. Ante abril deste ano, houve queda de 8,4%. Já as importações cresceram 4% na comparação com maio do ano passado e caíram 7,4% em relação a abril deste ano, também segundo o critério da média diária.

Leia também: Michel Temer diz que "País saiu da recessão"; Meirelles fala em "dia histórico"

Alta dos preços

Os preços internacionais elevados, principalmente dos produtos básicos, contribuiu para o crescimento das exportações brasileiras e, consequentemente, para o superávit no acumulado da balança no ano. O fator também influenciou o superávit do mês de maio.

“Uma publicação da OCDE [Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico, que reúne países desenvolvidos], mostra que o Brasil foi o país do G20 [grupo das maiores economias do mundo] em que mais cresceram as exportações no primeiro trimestre. Estamos com demanda pelos produtos do Brasil, preços aquecidos e safra agrícola recorde”, disse o diretor de Estatística e Apoio à Exportação do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Herlon Brandão.

Leia também: Michel Temer diz que "País saiu da recessão"; Meirelles fala em "dia histórico"

Dados do ministério indicam que, no período de janeiro a maio de 2017, o preço dos produtos exportados pelo Brasil aumentou em 19,7% na comparação com o mesmo período do ano passado. Os produtos básicos puxaram a alta, com aumento de preço de 29,5%. Os principais responsáveis foram minério de ferro (alta de 94,1% nos preços ) e petróleo bruto (68%), assim beneficiando a balança comercial.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas