A fim de potencializar a produtividade e o bom desempenho de seus funcionários, empresas de diferentes segmentos têm apostado em benefícios além dos já conhecidos por lei no dia a dia corporativo.

Leia também: Veja dicas para melhorar o ambiente de trabalho e aumentar a produtividade

Salas temáticas, lanches, cervejas, jogos e massagem. Esses e outros benefícios fazem parte da política de empresas como a PmWeb,  Buscapé Company, Agência Linka e Geekie, que optaram por esses recursos para motivar suas equipes e tornar o ambiente de trabalho mais dinâmico.

PmWeb

undefined
Divulgação/PmWeb
Um dos espaços da empresa PmWeb e considerado um benefício é a sala de descanso

Usando dados e serviços estratégicos para se aproximar dos consumidores, a PmWeb está no mercado há 20 anos. Com escritórios em Porto Alegre e em São Paulo, a empresa têm espaços alternativos para criar um clima diferente e convidativo, além de tornar o cotidiano dos colaboradores mais produtivo e propício ao trabalho em equipe.

Com o intuito de melhorar a qualidade de vida dos trabalhadores, a empresa oferece uma rotina flexível, com sete opções de horários de trabalho. Em Porto Alegre, fazem um dia de home office por semana e em São Paulo dois dias por semana. Em relação às práticas, a companhia tem a Rockin' School, momento onde os funcionários debatem sobre assuntos relacionados a PmWeb e conversam sobre suas vidas no geral.

“Quando o colaborador sente que a empresa confia e que a relação é saudável, que os direitos são cumpridos, que o bem-estar é valorizado, abre-se a oportunidade para que a relação seja produtiva e de qualidade. No final das contas é o relacionamento entre as pessoas que favorece e proporciona um ambiente de crescimento”, frisam a coordenadora de marketing, Patricia Merck e a gerente de recursos humanos, Gabriela Busnadiego.

Buscapé Company

undefined
Divulgação/Buscapé Company
Sala de reunião da Buscapé Company

A head de gestão de pessoas da Buscapé Company, Claudia Palaikis, explica que um ambiente mais descontraído, não só em questões de aparência e decoração, mas também no funcionamento da empresa, é muito importante para inspirar os funcionários e seus colaboradores. Além disso, ressalta o impacto positivo desses recursos, percebido no desempenho dos funcionários por meio das avaliações e atingimento das metas corporativas.

Entre os recursos oferecidos pela Buscapé Company, estão a flexibilização nos vales refeição e alimentação conforme a preferência de cada funcionário, auxílio creche, reconhecimento de talentos por programas de bonificação, subsídio de aulas de idiomas, cursos de especialização e academias, ginástica laboral, day-off de aniversário, happy hour e sextas-feiras com jornada de trabalho reduzida.

A head conta que, apesar de não conseguirem ter um parâmetro sobre qual benefício é o preferido do trabalhador, costumam ser muito elogiados pelos programas de qualidade de vida e por seus happy hours. “A Buscapé nasceu da essência empreendedora dos seus fundadores, responsáveis pela disrupção de todo um mercado. Ao longo dos anos, a empresa deixou de ser uma startups e assumiu estruturas grandiosas. Por isso, cuidamos da cultura corporativa e de nossos talentos e estamos conseguindo crescer com inovação e saúde, prezando pela qualidade de vida dos colaboradores para que estejam prontos para fazer a diferença”.

Agência Linka

undefined
Divulgação/Agência Linka
Lucas Burza, sócio e líder de conteúdo da Agência Linka

Especializada em marketing digital, a Agência Linka preenche a rotina dos funcionários com massagens, chocolate, cervejas, vídeo game, comemoração mensal dos aniversariantes e futebol às segundas-feiras. Sendo um ambiente mais informal desde sua criação, a empresa migrou da casa dos pais de um dos sócios fundadores e atualmente segue parâmetros que contribuem para a leveza no ambiente de trabalho.

Um dos sócios fundadores e líder de conteúdo da agência, Lucas Burza, afirma que o local onde passamos a maioria do nosso tempo não deveria ser desagradável, e que por isso, esses fatores são tão impactantes, podendo aproximar e potencializar o rendimento de todos os funcionários.

“Reparei uma aproximação maior entre áreas que não tinham contato no ambiente de trabalho após a implementação do futebol às segundas-feiras. Facilitou a comunicação interna e melhorou a cooperação entre as pessoas da equipe. Outro ponto que vale citar é que alguns colaboradores depois de participar dos jogos, iniciaram outras atividades físicas visando a saúde”, expôs.

Leia também: Home office: confira prós e contras desse modelo de trabalho

Geekie

undefined
divulgação/Geekie
Um dos espaços da empresa Geekie

Em 2011, profissionais do mercado financeiro, decidiram trocar o cotidiano dos bancos para investir em tecnologia e educação. Assim surgiu a Geekie, empresa de conteúdo educativo que viabiliza um aprendizado personalizado para seus alunos e um maior dinamismo para os seus colaboradores.

Não existindo uma transição entre as políticas e valores adotados pela entidade, a Geekie foi fundada com uma concepção jovem e flexível, oferecendo reuniões com cervejas, jogos e lanches para seus funcionários, além de um quadro de horários menos rigoroso. De acordo com Letícia Alves, que trabalha na área de comunicação da empresa, o próprio ambiente influencia no desempenho e na autonomia da equipe.

 “As pessoas se sentem mais autônomas e seguras para desenvolver os seus respectivos trabalhos, pois sabem que têm liberdade para fazê-los. Vai muito além do trabalho, você consegue desenvolver ótimas relações interpessoais. Os resultados são bem positivos e esse ambiente mais descontraído colabora para a criatividade”, afirma.

Flexibilização x Organização

Diante de todos esses recursos positivos que influenciam na liberdade do trabalhador, existe a possibilidade de haver algo que gere o efeito reverso em seu rendimento? Segundo o coach e consultor de carreiras, Emerson Weslei Dias, tudo depende do funcionário e de seu nível de organização, já que pode se dar muito bem com esse método ou perder sua disciplina em meio a tanto dinamismo.

“Precisamos de autodisciplina e flexibilidade para cumprirmos nossas atividades de trabalho junto de nossas respectivas rotinas. É tudo muito relativo. Se o trabalhador é organizado e gosta de flexibilidade, com certeza será algo positivo, pois poderá trabalhar em um ambiente onde não precisa negociar o tempo todo. Entretanto, quando não se tem a disciplina da entrega, é importante que alguém crie regras para você, e devido a isso, a flexibilidade pode se tornar um risco”, explica Dias.

Outro fator a ser citado é a diminuição nos salários em detrimento desses benefícios. Para o consultor de carreiras, é importante que ocorra uma monetização dos mesmos, ou seja, que atribuam valor financeiro, para que assim possam ser comparados. Colocar tudo na balança é necessário para avaliar a remuneração e o recurso ofertado, diagnosticando assim, se vale ou não a pena.

Trabalho excessivo e demandas da nova geração

Uma coisa é certa: atualmente as pessoas têm trabalhado mais do que no passado devido a uma série de fatores, como a conectividade e os avanços tecnológicos, que fazem com que os mesmos tenham acesso às atividades a qualquer momento.

“Hoje trabalhamos muito mais do que no passado. Antes você desligava o seu computador e ia para casa e acabou. Agora você carrega o seu trabalho para onde você vai. Então, de certa forma, há mais trabalho, mas não por conta da flexibilização ou dos modelos adotados pelas empresas, mas sim pela falta de disciplina e em partes pela conectividade excessiva”, aponta o consultor de carreiras.

Em relação às novas gerações, Dias evidencia que existem novas demandas. Entretanto, também se fazem presentes questões legais e morais do que se pode ou não fazer e o que influencia nos moldes e no comportamento no ambiente de trabalho.

“Há uma atualização a ser feita para atender as novas gerações, mas não podemos descartar a lei da oferta e da procura, onde o funcionário tem que se adequar a empresa. Ainda mais nessa situação de desemprego atual, que tem reduzido muito o potencial de escolha do empregado e os benefícios”, conclui. 

*Com edição de Flávia Denone

Leia também: Conheça as carreiras que têm boa remuneração, mas exigem inglês fluente

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários