Tamanho do texto

A Caixa Econômica suspendeu na semana passada o financiamento da linha Pró-Cotista; Já foram sacados R$ 16,6 bilhões das contas inativas do FGTS

Brasil Econômico

Nesta quarta-feira (10) o ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, garantiu que os saques das contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) não vão impactar nas linhas de crédito pra a compra de imóveis nem os financiamentos para projetos habitacionais para construção de novas unidades.

Leia também: FGTS inativo: quatro dicas para usar o dinheiro com sabedoria

A partir da próxima segunda-feira (12) cerca de 7,6 milhões de contribuintes nascidos nos meses de junho, julho e agosto poderão sacar os fundos inativos do FGTS
Arquivo/Agência Brasil
A partir da próxima segunda-feira (12) cerca de 7,6 milhões de contribuintes nascidos nos meses de junho, julho e agosto poderão sacar os fundos inativos do FGTS

Em esclarecimento, o ministro informou que o que aconteceu em relação ao FGTS foi o esgotamento do orçamento pró-cotista, mas que já foi remanejado. E que não há falta de recursos para financiar habitação em nenhuma vertente.

Suspensão

A Caixa Econômica Federal suspendeu na semana passada o financiamento da linha Pró-Cotista, categoria que tem como intuito destinar recursos para a aquisição de imóveis com juros menores. Já nesta semana, a entidade se posicionou dizendo que voltaria a receber as propostas de financiamento da linha Pró-Cotista, informação essa dada na terça-feira (9).

De acordo com Oliveira, a ausência de receita não tem relação com os saques das contas inativas, uma vez que garantiu que todas as simulações foram efetuadas. “Nós temos excesso de orçamento do FGTS em várias áreas que não estão performando. Na própria área de infraestrutura e saneamento, por exemplo, está sobrando recurso. A gente vai administrar o orçamento, mas não faltará recurso de modo algum para área de habitação”, informou.

Leia também: BNDES emite US$ 1 bilhão em títulos para criação de projetos sustentáveis

Saques

A Caixa Econômica Federal calculou que foram sacados R$ 16,6 bilhões das contas inativas de março para cá. O valor é recorrente dos 85% dos 10,6 milhões de trabalhadores, nascidos entre janeiro e maio, que já buscaram o benefício – disponibilizado em dois lotes até agora.

Vale ressaltar que a partir da próxima segunda-feira (12) cerca de 7,6 milhões de contribuintes nascidos nos meses de junho, julho e agosto poderão sacar os fundos inativos do FGTS. O valor disponível a essas pessoas é de R$ 10,8 bilhões.

* Com informações da Agência Brasil

Leia também: Apenas 15% dos consumidores estão com a conta no azul, diz SPC Brasil e CNDL