Tamanho do texto

Economistas ouvidos pelo Banco Central estimam que a inflação ficará abaixo da meta e que a taxa de juros vai fechar o ano em 8,25%; veja

Os economistas consultados pelo Banco Central para o desenvolvimento do Boletim Focus mostram otimismo pela queda da inflação no País este ano. Pela nona vez consecutiva a projeção para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) teve queda ao passar de 4,03% na semana passada para 4,01% nesta segunda-feira (8).

Leia também: Banco do Brasil lidera ranking de reclamações de clientes, diz pesquisa

Economistas ouvidos pelo Banco Central estima inflação controlada este ano
Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Economistas ouvidos pelo Banco Central estima inflação controlada este ano


A projeção para inflação segundo 100 instituições financeiras consultadas pelo Banco Central , está abaixo do centro da meta estipulada de forma oficial pelo governo, que é de 4,5% ao ano. Vale ressaltar que a índice de inflação pode variar com taxa inferior de 3% e superior de 6%. A previsão para 2018 foi revista para cima ao passar de 4,30% para 4,39%.

As estimativas referentes ao Produto Interno Bruto (PIB) teve uma leve alta ao passar de 0,46% este ano para 0,47%. A projeção oficial do governo em relação ao crescimento econômico é de 0,5% este ano. Para o ano que vem a perspectiva tem mantido estabilidade. Os economistas estimam o PIB na ordem de 2,5%, índice esse projetado pelas instituições consultadas pelo Banco Central há sete semanas.

Taxa de juros

A estimativa para taxa básica de juros – Selic, projetada pelos economistas é de 8,5% ao ano. Nos dias atuais a Selic no Brasil é de 11,25%, e é um indicador de extrema importância à economia brasileira, já que ele é usado pela equipe econômica para influenciar a atividade econômica, e consequentemente, a inflação.

Quando o Copom aumenta a Selic, a finalidade é conter a demanda aquecida e isso gera reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança. Quando diminui os juros básicos, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle sobre a inflação.

Leia também: Delta Airlines expulsa família que se recusou a ceder assento de criança em voo

Demais projeções

O Boletim Focus também faz estimativas em relação à taxa de câmbio, balança comercial e investimentos internos. Na projeção desta segunda-feira (8) para a cotação do dólar no fechamento deste ano manteve-se estável, com moeda norte-americana cotada em R$ 3,23. Para 2018, a estimativa dos economistas para a cotação do dólar subiu ao passar de R$ 3,38 para R$ 3,40.

A expectativa para o resultado da balança comercial subiu de US$ 53,15 bilhões para US$ 53,3 bilhões de resultado positivo. Para o ano de 2018, a estimativa dos economistas para o superavit teve alta ao passar de US$ 41,1 bilhões para US$ 42,3 bilhões.

A projeção do relatório analisada e divulgado pelo Banco Central para a entrada de investimentos estrangeiros diretos no Brasil em 2017 recuou de US$ 78 bilhões para US$ 76 bilhões. Para 2018, a estimativa também teve queda ao passar de US$ 80 bilhões para US$ 75 bilhões.

*Com informações da Agência Brasil

 Leia também: Receita abre consulta a lote de restituição do Imposto de Renda residual