A companhia aérea norte-americana United Airlines se envolveu em mais uma polêmica de proporções mundiais. Desta vez, Simon, um coelho gigante, que se tornaria o maior do mundo em breve, morreu durante um voo entre o aeroporto londrino de Heathrow e o O'Hare de Chicago. O animal tinha 91,5 centímetros, tinha 10 meses e era um dos filhotes do coelho Darius, o maior do mundo até hoje, que tinha 134,1 cm.

Leia também: Passageiro é picado por escorpião durante voo da United Airlines

De acordo com um entrevista da criadora do coelho, Anette Edwards, ao jornal britânico "The Sun", ela está estudando um processo contra a  United Airlines . "Alguma coisa muito estranha aconteceu e que quero saber o que foi", disse. Segundo ela, o animal estava sendo enviado para um comprador nos Estados Unidos. O futuro dono, que não teve a identidade divulgada, teria ficado "muito chateado" com o ocorrido.

undefined
Reprodução

O coelho gigante Simon morreu durante voo da United Airlines entre Londres e Chicago

"Eu envio coelhos para todas as partes do mundo e isso nunca aconteceu antes. Simon fez um check-up veterinário três horas antes de embarque e estava muito bem", disse ainda a criadora ao "The Sun". De acordo com o jornal, coelhos como o Simon custam cerca de £ 5 mil por ano (aproximadamente R$ 17 mil).

Você viu?

Leia também: Vídeo mostra passageiro sendo arrastado para fora de avião da United Airlines

Em nota, a companhia aérea informou que abriu uma investigação sobre a morte de Simon e que está "triste" com a ocorrência. "A segurança e o bem estar de todos os animais que viajam conosco é algo de extrema importância para a United Airlines e nosso time PetSafe". A empresa afirmou, ainda, que está em contato com Annette para lhe prestar toda a assitência.

O caso de Simon ocorre semanas depois de funcionários da companhia aérea retirarem à força um passageiro  de um voo entre Chicago e Louisville. Na ocasião, três funcionários da United Airlines pediram para que um consumidor se retirasse de voo por conta de "overbooking", termo usado quando a venda de passagens pela empresa é maior que o número de lugares disponíveis. Ao se recusar a deixar o avião, o passageiro foi arrastado para a parte da frente da aeronave. O acontecimento foi filmado por outros passageiros e compartilhado nas redes sociais.

* Com informações da Ansa.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários