Brasil Econômico

O índice de desemprego no País tem apresentado alta significativa e isso ajuda a aumentar a atuação de profissionais no mercado informal de trabalho. Quem se beneficia nesse momento de crise econômica no País são as plataformas que ofertam serviços de freelancer.

Leia também: Veja como se dar bem nas entrevistas de emprego em inglês

undefined
shutterstock
Profissionais usam plataformas de serviços para ofertar mão de obra e driblar a crise


Pesquisa realizada pelo aplicativo GetNinjas, plataforma que conecta profissionais a contratantes, apontou crescimento de 243% no número de cadastros efetuados no site entre 2015 e 2017.  O Sudeste e o Centro-Oeste foram as regiões em que o trabalho informal e contratado por meio da plataforma apontou maior crescimento com índices de 60% e 57%, respectivamente.

Segundo o fundador e CEO da ferramenta, Eduardo L'Hotellier, atuar como freelancer é a forma encontrada pelo brasileiro para minimizar os efeitos da crise econômica. "Com a diminuição na demanda de serviços por vias tradicionais, muitos profissionais migraram para o aplicativo GetNinjas para buscar novos contatos e fechar serviços”. 

Dados que ressaltam essa alternativa encontrada pelo profissional brasileiro são apurados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em 2016 foi constatado que o Brasil somou mais de 13 milhões de pessoas sem ocupação, ou seja, desempregadas. Outro dado foi a queda da porcentagem da população que trabalha com carteira assinada no setor privado, no período houve queda de 3,9%.  Aliado a esse cenário, o Brasil também encara um período de recessão, com retração de 4,5% nesse último ano, de acordo com índice do Banco Central.

Leia também: Desemprego atinge 13,5 milhões de brasileiros; maior taxa desde 2012

Empreendedorismo

Em contrapartida e como forma de driblar a falta de emprego, o País viu crescer de forma significativa o número de empresas abertas. Dados mais recentes do IBGE mostram que o número de firmas abertas no ano de 2014 ultrapassou o de fechamento. Em 2015, a crise econômica gerou frutos do aumento de participação da economia informal no Produto Interno Bruto (PIB). No período, mais de R$ 950 bilhões foram gerados por empregos informais .

Dados da plataforma apontam que só pelo GetNinjas mais de 200 mil pessoas ofertam sua mão de obra de forma independente. A pesquisa identificou ainda que, grande parte desses profissionais usa o canal como principal fonte de renda. Outros usam o site para aumentar os rendimentos mensais.

A tecnologia e informalidade colaboraram para que esses trabalhadores encontrassem uma nova forma de gerar renda, de forma autônoma. No GetNinjas, mais de 200 mil profissionais já atuam de forma independente, oferecendo serviços por meio do aplicativo. Esses profissionais oferecem mais de 100 tipos de serviços, que vão desde babá, técnicos de informática e professores até arquitetos, pedreiros, eletricistas e advogados.

O GetNinjas movimenta hoje mais de R$ 300 milhões por ano, valor esse que vão diretamente aos profissionais que ofertam serviços na plataforma, o que saliente que o mercado informal de trabalho tem sido alternativa aos trabalhadores que perderam seus empregos durante a crise econômica vivida pelo País.

Leia também: Da área têxtil ao churrasco profissional: como o hobbie de Lee virou trabalho

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários