Brasil Econômico

undefined
shutterstock
Leilão de energia elétrica aconteceu nesta segunda-feira (24), na empresa B3

O leilão feita pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) realizado nesta segunda-feira (24) na empresa B3, antiga B&F Bovespa, na cidade de São Paulo, terminou com 31 lotes arrematados em 20 estados brasileiros. Os lotes 12 (Maranhão e Tocantis), 16 (Piauí e Maranhão), 17 (Rio Grande do Sul) e 24 (São Paulo) não receberam nenhuma proposta. O certame teve início às 8h30 e terminou às 14h.

Leia também: 40% dos contribuintes ainda não entregaram a declaração do Imposto de Renda

Estas concessões leiloadas dizem respeito à construção, operação e manutenção de 7,4 mil quilômetros de linhas de transmissão e subestações com 13,2 mil megavolt-ampere (MVA). As instalações entram em operação dentro de um prazo que varia entre 36 e 60 meses. A soma das Receitas Anuais Permitidas (RAP) dos lotes é de R$ 2,7 bilhões e os vencedores recebem essas receitas pela prestação do serviço de energia elétrica pelo período de 30 anos.

O leilão teve ser maior deságio no lote 10, que chegou a 58,86%. Este lote tem dez linhas que vão servir para algumas cidades do Rio Grande do Sul. A vencedora  foi a Saterlite Power, que pagou o valor de R$ 34,5 milhões. Entre os resultados, o valor mais alto do leilão desta segunda-feira foi o do Consórcio Columbia, que fez um arremate com um preço de R$ 267,3 milhões, contando com um deságio de 33,24%, no lote 1. O objetivo é reforçar o fornecimento de energia ao Mato Grosso do Sul e também o escoamento da Hidrelétrica de Itaipu.

Também localizado no Paraná, o lote 2 foi arrematado pelo Consórcio Cesbe-Fasttel pelo valor de R$ 28 milhões, com um deságio que chegou a 12,5%. São 117 km de linhas e 150 MVA, que vão reforçar o serviço em Mato Grosso do Sul.

Já o lote 3, que tem linhas e subestação em Goiás, foi vencido pelo Energisa S.A., que fez uma proposta de deságio de 37,6%, com uma oferta no valor de R$ 36,7 milhões. O lote tem uma linha de transmissão com 272 km e subestação de 1344 MVA para abastecer o Mato Grosso do Sul.

No caso do lote 4, que também atende ao Mato Grosso do Sul, o arremate foi feito pela Elektro Holding, por R$ 65,5 milhões, com deságio de 34,5%. O Consórcio Aliança ficou com o lote 21, após um lance de R$ 171,8 milhões e deságio de 34,99%, para 753 km de linha e uma subestação de 1344 MVA,em Santa Catarina. Voltado ao sul de Santa Catarina, o lote 22 foi arrematado pela Elektro Holding. O deságio foi de 46,17%, com o valor de R$ 13,5 milhões.

CTEEP

A Companhia de Transmissão de Energia Elétrica Paulista (CTEEP) foi responsável pelo arremate de quatro lotes. Com um lance de R$ 18,3 milhões e deságio de 32,2%, o lote 5 vai ajudar o norte e noroeste do Paraná, com 36 km de linhas e uma subestação com 500 MVA.

Também foi arrematato pela companhia o lote 6 do leilão, com um lance que chegou a R$ 46,1 milhões e deságio de 44,51%. O lote tem uma subestação em São Paulo, que servirá como compensação reativa para os sistemas de 440 e 500 quilovolts do estado.

Leia também: Estudo diz que 15% dos inadimplentes já fizeram empréstimo para negativados

Caracterizado como um subestação localizada em São Paulo, o lote 25, também foi vencido pela CTEEP. A oferta foi de R$ 10,7 milhões, com deságio de 57,55%. O lote 18, em Minas Gerais e São Paulo, teve oferta de R$ 205 milhões pela EDP Energias do Brasil, com deságio de 47,4% – segundo maior valor pago neste leilão. O quarto lote levado pela CTEEP foi o 29, cuja oferta foi de R$ 53,6 milhões, 52,69%. A concessão vai corrigir carregamento e tensão na rede do interior paulista.

O lote 19, que tem uma linha de 330 km nos estados de São Paulo e Rio de Janeiro, foi leiloado pelo valor de R$ 99,1 milhões e deságio de 48% pelo Consórcio Olympus II. O lote 20 foi vencido pela Elektro Holding com deságio de 52,93%, R$ 13,2 milhões. Trata-se de uma subestação em São Paulo. Já lote 8, no Rio de Janeiro, foi arrematado pela Arteon Z Energia e Participações por 9,3 milhões e deságio de 37,5%. Este lote diz respeito a uma subestação com 300 MVA para expandir cargas para Resende (RJ).

Nordeste

Na região Nordeste do País, o lote 7, que tem linhas de transmissão de 128 km e 1600 MVA, vai suprir a região metropolitana de São Luís do Maranhão. O vencedor deste lote foi a EDP Energias do Brasil, que ofertou 36,5% de deságio e R$ 66,2 milhões. O lote 9, no Rio Grande do Norte, foi arrematado pela RC Administração e Participações, por R$ 11,4 milhões e deságio de 31,75%. A concessão vai beneficiar os municípios de Currais Novos e Lagoa Nova.

Outra empresa que arrematou lotes no leilão foi a EDP Energias do Brasil, que levou duas linhas e uma subestação por R$ 30,2 milhões, com deságio de 4,91%. Trata-se do lote 11 com 11 mil km de linhas de transmissão e 200 MVA, de uma subestação que vai atender o nordeste do Maranhão. O lote 13 teve como vencedor o Consórcio Reanscença, com R$ 44,4 milhões e deságio de 18,5%. São 198 km de linhas nos estados de Sergipe e Alagoas.

O Consórcio LT Norte arrematou o lote 14, que tem linha de 109 km em Alagoas, por 14,2 milhões, sem deságio. Com objetivo de favorecer o agreste de Pernambuco, o lote 15 recebeu lance de 24,6 milhões da Sterlite Power, com deságio de 25,87%. O lote 23, de escoamento para energia eólica na Paraíba e Pernambuco, recebeu oferta de R$ 27,4 milhões, deságio de 29%, sendo arrematado pela RC Administração e Participações.

Com o valor de R$ 12,8 milhões, a Elektro Holding venceu o lote 27, com deságio de 48,93%. Localizado no Ceará, o lote vai garantir intercâmbio de energia no Norte e Nordeste com a entrada da usina de Belo Monte. Com subestações no Maranhão e Piauí, o lote 28 foi vendido por R$ 16,2 milhões e deságio de 37,29%. O lote 30 foi arrematado pela por R$ 63,9 milhões, deságio de 32,07%, pela RC Administração e Participações. A linha passa pelo Piauí, Pernambuco e Ceará.

Norte

Arrematado pela Energisa S.A., o lote 26, no Pará, teve lance de R$ 46,3 milhões, com deságio de 29,57%. São 592 km de linhas e 300 MVA na região de Santana do Araguaia. Também no Pará, o lote 31 teve lance de R$ 126,8 milhões, deságio de 9,5%, pela Equatorial Energia S.A. A Cobra Brasil ganhou o lote 32, em Rondônia, com oferta de R$ 126,8 milhões e deságio de 9,5%. O empreendimento vai atender a municípios supridos hoje por geração isolada a diesel.

Leia também: Demanda por Crédito do Consumidor cai 4% no primeiro trimestre

Propondo um deságio de 16,14%, a Consórcio Pará arrematou o lote 33 de energia elétrica, voltado para a região metropolitana de Belém e nordeste do Pará, com o valor de R$ 20,5 milhões. O Consórcio Ominum Energy ofereceu 5,7 milhões pelo lote 34, um deságio de 40,5%, que atende as regiões metropolitana de Belém e nordeste do Pará. O Consórcio Brdigital, Brenergia e Lig Global venceu o lote 35, no Pará, com R$ 18,7 milhões e deságio de 30,42%.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários