Brasil Econômico

undefined
Agência Brasil/Arquivo
Banco Central: Os dados do IBC-Br apontam que a economia teve retração de 0,26% em janeiro


A crise econômica persiste a assombrar o País. É o que aponta o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) divulgado nesta sexta-feira (31) pelo Banco Central. O indicador mostrou que a atividade econômica brasileira teve retração de 0,26% em janeiro, na comparação com o mês de dezembro.

Leia também: Fim de desoneração divide empresários, mas é elogiada por economistas

Segundo o Banco Central a retração da economia veio em ritmo menor, uma vez que em dezembro o indicador apontou queda de 0,32% na comparação com o mês de novembro. Com o resultado de janeiro, o IBC-Br apresentou a sétima queda consecutiva em seu resultado.

A comparação anual do indicador – janeiro de 2016 versus janeiro de 2017 – sinaliza uma retração maior da atividade econômica com queda de 4,61%, índice esse sem ajustes.  Em 12 meses encerrados em janeiro, houve retração 3,99%, nos dados também sem ajuste.

Outros indicadores

Na quinta-feira (30) o Banco Central divulgou projeções feitas para a inflação e para o Produto Interno Bruto (PIB). Para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), ou seja, inflação a estativa é que ela feche o ano em 4%. A expectativa do BC ficar a abaixo do centro da meta estipulado pelo governo brasileiro que é de 4,5%.

Leia também: Confiança do setor de serviços registra maior nível desde dezembro de 2014

No mesmo relatório o Banco Central reduziu a projeção da economia brasileira para este ano. A expectativa atual é de crescimento de 0,5% do Produto Interno Bruto (PIB).  O novo indicador teve queda, já que anteriormente a projeção era de alta de 0,8% no PIB em 2017.

A estimativa da instituição vai de encontro com a projeção feita pela equipe econômica do governo brasileiro recentemente. O Ministério da Fazenda divulgou na semana passada a revisão, para baixo, do indicador do PIB, ao passar de crescimento de 1% para 0,5%. 

Crise econômica

A revisão para baixo do indicador é reflexo da persistência da crise econômica no Brasil. O mais recente indicador e um dos mais importantes, o do desemprego, apontou que 13,5 milhões de pessoas estão sem emprego atualmente. Isso salienta que os esforços do governo e do Banco Central em fazer a economia deslanchar surtiram efeitos mínimos, por mais que e equipe do governo mostre otimismo em curto prazo.

*Com informações da Agência Brasil

Leia também: Desemprego atinge 13,5 milhões de brasileiros; maior taxa desde 2012


    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários