Tamanho do texto

Mesmo com lucro líquido de R$ 2,5 bilhões, Petrobras registrou prejuízo de R$ 14,82 bilhões no ano passado; Em 2015, a perda foi de R$ 34,8 bilhões

Brasil Econômico

Bovespa: Resultado de 2016 da Petrobras fez a empresa ter o sexto pior resultado de uma empresa na Bolsa de Valores de São Paulo
iStock
Bovespa: Resultado de 2016 da Petrobras fez a empresa ter o sexto pior resultado de uma empresa na Bolsa de Valores de São Paulo

De acordo com um levantamento divulgado pela Economatica, a Petrobras registrou um prejuízo de R$ 14,82 bilhões no ano passado, sexto pior resultado anual apresentado por uma empresa lista na Bovespa. Vale ressaltar que no último trimestre do ano passado, o lucro líquido da entidade foi de R$ 2,5 bilhões.

Leia também: Setor de petróleo e gás pode ser impulsionado por política de conteúdo local

O maior registro nominal da história de uma empresa listada na Bovespa  é da Vale S.A. com R$ 44,2 bilhões registrados no ano de 2015. Mesmo com a perda, o resultado obtido pela estatal foi menor em relação ao de 2015, quando apontou prejuízo de R$ 34,8 bilhões. Em relação à lista dos 20 maiores prejuízos históricos de empresas da bolsa, a Eletrobrás e a Petrobras estão presentes em três oportunidades.

Entre os 20 maiores prejuízos, cinco são do setor extração de petróleo e gás, seguido pelo setor de energia elétrica em quatro oportunidades. Segundo o balanço, o lucro operacional da companhia foi de R$ 17 bilhões em 2016 ante ao prejuízo de R$ 12 bilhões de 2015.

Já o endividamento líquido registrou queda de 20%, ao passar de R$ 392 bilhões, no final de 2015, para R$ 314 bilhões no fim de 2016, o equivalente a US$ 96,4 bilhões.

Leia também: Petrobras deve retomar em breve processo de venda de ativos da BR Distribuidora

IPCA

Com a atualização dos prejuízos das empresas listadas na Bolsa de Valores desde 1994, até dezembro do ano passado e de acordo com o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a estatal deteve a 10ª pior perda já obtida por empresas nesse cenário.

Dívida e caixa

No quarto trimestre de 2016, a dívida bruta da companhia de capital aberto foi de R$ 385,7 bilhões, queda de R$ 120,8 bilhões se levado em consideração todo o histórico desde o terceiro trimestre do ano anterior, quando registrou o maior nível de endividamento com R$ 506,5 bilhões.

Também no mesmo período, a dívida líquida da estatal foi de R$ 314,1 bilhões, decréscimo de R$ 88,2 bilhões em comparação ao terceiro trimestre de 2015. Já o caixa da Petrobras em dezembro de 2016 registrou R$ 71,6 bilhões, retração de R$ 32,5 bilhões se comparado a setembro de 2015, maior valor já apresentado.  O desempenho mais fraco e os escândalos envolvendo casos de corrupção fizeram a estatal ter o resultado negativo na Bovespa, informou a Economatica. 


Leia também: Leilão de aeroportos: Governo estima investimento superior a R$ 6 bilhões

    Leia tudo sobre: Bovespa