Tamanho do texto

De acordo com levantamento, alta foi de 2,6% na comparação com o mesmo período de 2016; no entanto, se dezembro é considerado, há queda de 0,9%

Brasil Econômico

O consumo de bens da indústria apresentou leve alta em janeiro. Segundo dados divulgados nesta quarta-feira (15) pelo Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas (Ipea), a elevação foi de 2,6% na comparação com o mesmo período do ano passado. Este é o segundo resultado positivo seguido, após um longo período de quedas na comparação com o ano anterior.

Leia também: Governo não descarta possibilidade de aumento de impostos, diz Meirelles

Apesar da alta na comparação com janeiro de 2016, a indústria teve queda de 0,9% na comparação com dezebro. Os números levam em conta dados sem efeitos sazonais, em que são desconsidiradas as oscilações típicas de determinadas épocas do ano. O Ipea considera como consumo de bens industriais a produção doméstica do setor, acrescidas as importações e abatidas as exportações.

Destaque positivo da indústria em janeiro, segundo o Ipea, foi o avanço no setor de bens intermediários
Shutterstock
Destaque positivo da indústria em janeiro, segundo o Ipea, foi o avanço no setor de bens intermediários

Leia também: Brasileiro afirma que cenário econômico atual está pior que o do ano passado

Com o resultado registrado em janeiro, a queda do indicador acumulada nos últimos 12 meses desacelerou de 8,5% para 7%. No mesmo período, a produção doméstica teve recuo de 5,4%. Ao mesmo tempo, as importações acumulam queda de 8,7%, enquanto as exportações registram alta de 5,4%. As principais categorias econômicas, por sua vez, tiveram resultados distintos.

O destaque positivo na comparação entre janeiro e dezembro, segundo o instituto, foi o avanço de 1,1% na margem do setor de bens intermediários, isto é, as matérias-primas processadas que são utilizadas para a produção de outros bens ou produtos finais. O setor de bens de capital apresentou retração de 6,6% em janeiro. De acordo com o técnico de planejamento e pesquisa do Ipea, Leonardo Mello de Carvalho, o resultado é um "reflexo do mau desempenho da produção doméstica e das importações".

Leia também: Deficit da Seguridade Social teve aumento de 55,4% em 2016, diz governo

Quandos são analisadas as classes de produção, a indústria de transformação registrou avanço de 2,9%. Por outro lado, o setor da extrativa mineral recuou 8,1% entre janeiro do ano passado e janeiro deste ano. No período, 13 atividades de um total de 22 registraram crescimento. A maior alta foi apresentada na fabricação de produtos derivados do petróleo e de biocombustíveis (+9,8%).