Tamanho do texto

Marcas devem trabalhar ações diferentes em cada rede social; conheça as particularidades dos canais e saiba o que fazer para melhorar resultados

Brasil Econômico

Redes sociais têm o poder de alavancar vendas do e-commerce quando usadas corretamente
shutterstock
Redes sociais têm o poder de alavancar vendas do e-commerce quando usadas corretamente

Para quem trabalha no e-commerce e deseja usar as redes sociais para alavancar as vendas, é preciso entender as particularidades de cada uma delas. Conhecer os recursos oferecidos nos canais e aprender a explorá-los da melhor maneira é fundamental para o sucesso de uma loja virtual. Dependendo do trabalho da empresa e do público que se quer atingir, a abordagem deve ser diferente.

Leia também: Growth Hacking: veja o que é e como utilizá-lo a favor da sua empresa

Para aproveitar todas as oportunidades na hora de vender pela internet, o especialista em e-commerce e criador do Ecommerce na Prática.com, Bruno de Oliveira, aconselha apostar na construção de campanhas em algumas redes sociais . Segundo ele, algumas das que valem mais a pena investir no Brasil são o Facebook, o Instagram e o Twitter. Ele lista vantagens e desvantagens e ensina a usar os canais a favor do e-commerce. Confira:

Facebook

Uma das vantagens do Facebook, de acordo com o especialista, é que os anúncios exploram melhor o headline. “Anúncios no Google ou em outras redes não têm headlines destacadas”, explica. Para criar campanhas efetivas e atingir seu público de interesse, ele aconselha evitar chamadas como: “ganhe dinheiro”, “emagreça 20 kg em 2 dias” etc., além de palavras como “dinheiro”, “fácil”, “rápido”, “emagrecimento” e “namoro”.

“O Facebook ‘odeia’ algumas palavras e expressões, e bloqueia automaticamente os anúncios nas quais elas aparecem”, explica. Por isso, vale tomar cuidado, para que a sua campanha não acabe sendo um “tiro no pé”.

Leia também: Conhecimento de si e da equipe: veja como exercer uma liderança de sucesso

No Facebook, os comentários também podem ser muito úteis para as vendas. “Ao contrário do Instagram, que lida basicamente com imagens, e do Twitter, em que as pessoas interagem de forma muito rápida, nessa plataforma os usuários costumam passar mais tempo lendo e prestando atenção nos comentários dos posts. Por isso, vale muito a pena ter uma equipe de atendimento dedicada para atender prontamente aos clientes, esclarecendo dúvidas, oferecendo soluções e também vendendo”.

Twitter

Criada pelo próprio Twitter, a ferramenta Tweet Deck é excelente para o e-commerce, pois permite monitorar de forma dinâmica tudo o que é dito sobre uma marca. “Talvez você pense que o Twitter não é tão fundamental para seu negócio – e pode ser que isso seja verdade ou não –, mas tudo vai depender de como você trabalha. Mas de qualquer forma, é uma rede social muito movimentada, com usuários interagindo 24 horas por dia. Por isso, é recomendado sempre ter uma noção do que passa por lá.

Instagram

Oliveira acredita que o Instagram seja um canal que, às vezes, é subestimado pelos empresários. “O Instagram não é exatamente uma plataforma de vendas, mas tem muito e-commerce nascendo através dele e alcançando seis dígitos em poucos meses. É um fenômeno para quem sabe utilizá-la corretamente”.

Leia também: Advogado lista direitos pouco conhecidos pelos consumidores brasileiros

De acordo com o especialista, um dos segredos é investir na estética, aspecto mais forte de redes sociais de imagens, como o Instagram. “Capriche em suas imagens, que devem ser de alta qualidade, com enquadramento adequado e de boa resolução”. Outro cuidado importante é com a foto do perfil. “Na internet, essa imagem acaba sendo a substituta do ‘cartão de visita’ do mundo físico, já que é o primeiro contato com o cliente. Sendo assim, é fundamental passar uma ótima primeira impressão”.

    Leia tudo sobre: Facebook Instagram