Tamanho do texto

Boletim Focus divulgado nesta segunda-feira (6) aponta que o IPCA deve fechar 2017 em 4,36% e que PIB comece a se recuperar ao longo do ano

Boletim Focus, do Banco Central, aponta inflação abaixo do teto da meta de 4,5% e PIB em leve alta de 0,49% este ano
Agência Brasil/EBC
Boletim Focus, do Banco Central, aponta inflação abaixo do teto da meta de 4,5% e PIB em leve alta de 0,49% este ano


Boletim Focus divulgado nesta segunda-feira (6) pelo Banco Central (BC) sinalizou que as instituições financeiras estão mais otimistas em relação ao crescimento do Produto Interno Bruto (PIB). A projeção feita pelos economistas consultados aponta para crescimento do PIB de 0, 49% este ano, na projeção anterior a perspectiva era de 0,48%.

Leia também: Saques de contas inativas do FGTS começam nesta semana

A estimativa de crescimento para 2018 também foi revista pelos economistas consultados pelo Banco Central ao passar de 2,37% para 2,39%. Os indicadores apontam recuperação da economia brasileira, uma vez que a expectativa é que o resultado do PIB em 2016 seja negativo em 3,5%.

A previsão para a inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), neste ano permaneceu inalterada, com índice de 4,36%. A manutenção da estimativa é reflexo dos esforços do governo em manter a inflação dentro da meta estipulada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) que é de 4,5% ao ano.  A perspectiva é positiva já que desde 2009 a inflação tem sempre ficado acima da meta estipulada.  

Para 2018, a previsão do mercado financeiro para a inflação permaneceu estável em 4,5%. O índice está em linha com a meta de inflação do período (4,5%) e também abaixo do teto de 6% para o ano que vem.

Leia também: Brasileiro está mais otimista com a economia para os próximos seis meses

Selic

As perspectivas para taxa básica de juros, Selic, também foram mantidas com perspectiva de fechar 2017 em 9,25% ao ano. Vale ressaltar que o Comitê de Política Monetária (Copom) em ata divulgada na última semana sinalizou que cortes mais agressivos da Selic devem ocorrer ao longo deste ano.

Caso essa tendência se confirme, existe a possibilidade da taxa de juros ficar em apenas um dígito neste ano. Atualmente a Selic é de 12,25% ao ano. Para o fechamento de 2018, a estimativa dos economistas dos bancos para a taxa Selic continuou em 9% ao ano.

Demais indicadores

Os economistas ouvidos para o Boletim Focus apontaram que a taxa de câmbio para este ano será de R$ 3,30, valor que permaneceu inalterado na comparação com o boletim anterior. Para 2018 a estabilidade também se confirma, com perspectiva que a moeda norte-americana feche o ano, cotada em R$ 3,40.

Já a projeção do relatório divulgado pelo Banco Central para o resultado da balança comercial – resultado do total de exportações menos as importações – este ano, o que representa recuo de US$ 47,6 bilhões para US$ 47,3 bilhões de resultado positivo.

Leia também: Anac poderá intervir se companhias aéreas não reduzirem preços das passagens