Tamanho do texto

Em números absolutos, quantidade de devoluções por falta de fundos chegou a 917.049 no período; estado do Amapá registrou maior índice, com 25,79%

A quantidade de cheques devolvidos pela segunda vez por falta de fundos correspondeu a 2,12% do total de cheques movimentados em janeiro. De acordo com o Indicador Serasa Experiande Cheques sem Fundos, divulgado nesta terça-feira (21), este é o menor percentual desde agosto de 2015, quando foram registradas 2,11% de devoluções. Em dezembro do ano passado, o índice ficou em 2,25%.

LEIA MAIS: "Brasil está crescendo e a recessão já terminou", diz Henrique Meirelles

Em janeiro de 2016, o percentual de cheques devolvidos havia ficado em 2,41%. A quantidade de devoluções em números absolutos chegou a 917.049 em janeiro. Enquanto isso, o total de cheques compensados no período atingiu 43.339.051. No mês anterior, o índice apontou 1.027.169 devoluções por falta de fundos e 45.72.973 compensados.

Região Norte teve o maior índice de devolução de cheques por falta de fundos, com 4,54% , segundo a Serasa Experian
Marcos Santos/USP Imagens
Região Norte teve o maior índice de devolução de cheques por falta de fundos, com 4,54% , segundo a Serasa Experian

LEIA MAIS: Situação do mercado é a maior barreira para jovens à procura do primeiro emprego

De acordo com economistas da Serasa Experian, fatores como a redução da inflação, a queda dos juros e a entrada da segunda parcela do 13º salário em dezembro, aliados à prioridade dos consumidores com o pagamento de dívidas, contribuíram para reduzir a inadimplência no primeiro mês do ano.

Quando avaliadas por estados, as devoluções por falta de fundos apresentaram os maiores índices em Amapá (25,79%), Roraima (20,25%), Amazonas (17,04%) e Acre (10,85%). Por outro lado, estados como Santa Catarina (1,57%), Paraná (1,70%), Rondônia (1,75%) e São Paulo (1,78%) apresentaram as menores taxas.

Na comparação entre as regiões, o maior índice foi registrado no Norte, com 4,54%. Em dezembro do ano passado, o percentual chegou a 4,51%. Em janeiro de 2016, a taxa ficou em 4,82%. Por outro lado, a região Sul teve o menor índice de devolução por falta de fundos, com 1,70%. O índice foi menor que o registrado em dezembro (1,87%) e em janeiro de 2016 (2,16%).

LEIA MAIS: Processos trabalhistas são impulsionados por demissões mal conduzidas no Brasil

A região Nordeste registrou taxa de devolução de 3,74%, menor que o apresentado em dezembro (4,39%) e em janeiro (4,50%) do ano anterior. Na região Centro-Oeste, o índice ficou em 2,49%, patamar menor que os 3,15% registrados em dezembro último e os 3,21% de janeiro do ano passado. Por fim, a região Sudeste registrou devolução de 1,88% do total de cheques compensados. Em dezembro de 2016, o índice havia ficado em 1,86%. No primeiro mês de 2016, a taxa estava em 1,95%.

* Com informações da Agência Brasil.