Brasil Econômico

Agência Brasil

Segundo o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, o saque das contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) não vão trazer impactos negativos ao setor de construção civil. Segundo ele foi feito cálculos “rigorosos” para evitar qualquer interferência.

LEIA MAIS: Veja as datas para o saque das contas inativas do Fundo de Garantia

undefined
Antonio Cruz/Agência Brasil
Ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou que programa Minha Casa Minha Vida não será prejudicado com o saque das contas do FGTS


A afirmação foi feita na manhã desta terça-feira (14) por Henrique Meirelles em sua participação na coletiva de imprensa que divulgou as datas oficiais para o saque do dinheiro do FGTS retido. "Fizemos cálculos atuariais bastante rigorosos e concluímos que há recursos suficientes para assegurar recursos, em nível adequado, para financiamento da habitação no país. Não terá nenhum problema nessa área", disse o ministro.

Para complementar a afirmação de Meirelles, o ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Dyogo Oliveira, que a restrição do saque para contas inativas até o dia 31 de dezembro de 2015, foi a forma encontrada pelo governo para equilibrar a utilização do recurso.]

LEIA MAIS: Michel Temer nega que governo vai rever o saque das contas inativas de FGTS

Estudo

Segundo Oliveira, não é estudado pelo governo ampliar a autorização ao saque dessas contas em casos ocorridos após 31 de dezembro de 2015. "Temos tido bastante cuidado com a sustentabilidade do sistema do FGTS. Essas coisas foram calculadas e simuladas. Qualquer medida adicional dependerá de passar por esse tipo de avaliação", disse.

Neste mês de fevereiro foi na anunciado a ampliação do programa habitacional Minha Casa Minha Vida. O montante empregado no programa passou de R$ 64,4 bilhões para R$ 72,9; o que representa um aporte a mais de R$ 8,5 bilhões. O limite de renda para se enquadrar no programa habitacional também foi ampliado, passando de R$ 6,5 mil para R$ 9 mil.

FGTS

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou que o dinheiro das contas inativas é uma forma de dar opção ao trabalhador de fazer um melhor uso de seu benefício. “Com o saque das contas inativas permite ao contribuinte optar a por consumir, poupar, investir e escolher o investimento que quiser”, disse ele.

Outro ponto ressaltado foi que o dinheiro ajudará na “diminuição do custo financeiro e do endividamento, beneficiando o consumidor e o crescimento econômico”, concluiu ele.

*Com informações da Agência Brasil

LEIA MAIS: Saiba o que fazer para aumentar a receita da sua empresa durante a crise

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários