Tamanho do texto

O recorde se concretizou com a produção de 2,730 bilhões de barris de petróleos por dia, superando os 2,671 milhões de setembro de 2016

Brasil Econômico

O campo de Lula, na Bacia de Santos, foi considerado o com maior produção de petróleo e gás natural
Agência Petrobras
O campo de Lula, na Bacia de Santos, foi considerado o com maior produção de petróleo e gás natural

Em dezembro de 2016, o Brasil atingiu sua maior produção de petróleo e gás natural. O recorde se deu diante da produção de 2,730 bilhões de barris de petróleos por dia, superando os 2,671 milhões de barris fabricados em setembro do mesmo ano. Se comparado ao mês anterior, o aumento foi de 4,7%. Já se levado em consideração o mesmo mês de 2015, o acréscimo foi de 7,8%.

LEIA MAIS: Conta-petróleo tem primeiro superávit da história ao atingir US$ 410 milhões

Em relação ao gás natural, cerca de 111, 8 milhões de metros cúbicos ( m³/d) foram produzidos por dia, ultrapassando a produção de  111,1 milhões de m³/d registradas em novembro de 2016. Se comparados o mês anterior e dezembro de 2015, as altas são de 0,6% e 11,3%, respectivamente.

A produção total de petróleo e gás natural no Brasil foi de aproximadamente 3,433 milhões de barris de óleo por dia. O campo de Lula, na Bacia de Santos, foi considerado o maior produtor de petróleo e gás natural, com média de 710,9 mil bbl/d de petróleo e 30,8 milhões de m³ diários de gás natural.  Com isso, a produção de petróleo do campo de Lula é a maior apresentada no País, quebrando seu próprio recorde de 663,2 mil bbl/d, alcançado em novembro do ano passado.

Pré-sal

Já a produção do pré-sal, oriunda de 68 poços, apresentou cerca de 1,262 milhão de barris de petróleo por dia e aproximadamente 49 milhões de metros cúbicos de gás natural por dia.  Em comparação a novembro, o aumento foi de 8,4%, o que representa 1,570 milhão de barris de óleo equivalente por dia. É importante lembrar que a produção do pré-sal correspondeu a 46% do total produzido no Brasil. 

Queima de gás

O aproveitamento de gás natural no mês atingiu 96,1%. Já a queima do mesmo em dezembro foi de 4,3 milhões de metros cúbicos por dia, alta de 13,5% em relação ao mês anterior e de 28,3% em comparação a dezembro de 2015. De acordo com o Boletim Mensal da Produção de Petróleo e Gás Natural, a realização de testes no campo de Búzios foi a principal causa do aumento na queima de gás em dezembro.

LEIA MAIS: Exportações de industrializados cresceram abaixo do esperado em 2016

Campos de produção

Em relação aos campos marítimos, as produções de petróleo e gás natural foram de 94,9% e 78,9%, respectivamente.  O ocorrido se deu em 8.573 poços, onde 755 eram marítimos e 7.818 terrestres. Referente aos campos operados pela Petrobrás, a produção foi de 94,3%.

O campo Estreito, na Bacia Potiguar, registrou o maior número de poços produtores, com 1.103. Já Marlim, na Bacia de Campos, apresentou 63 poços produtores, maior resultado abrangente aos campos marítimos.

A FPSO Petrobras 58, produtora nos campos de Jubarte, Baleia Azul, Baleia Anã e Baleia Franca, efetuou por meio de 13 poços interligados, cerca de 189,6 mil barris de petróleo equivalentes por dia(boe/d), sendo a Unidade Estacionária de Produção(UEP) a mais produtiva. Enquanto as bacias maduras terrestres produziram 142,9 mil boe/d, sendo 117,8 mil bbl/d de petróleo e 4,0 milhões de m³/d de gás natural.

Desse total, 138,4 mil barris de óleo equivalente por dia foram executados pela Petrobras e 4,5 mil boe/d por concessões não operadas, onde 326 boe/ tiveram produção em Alagoas, 1.601 boe/d na Bahia, 62 boe/d no Espírito Santo, 2.252 boe/d no Rio Grande do Norte e cerca de 249 boe/d em Sergipe.

LEIA MAIS: Produção de petróleo sobe 0,75% e bate recorde em 2016, diz Petrobras